Violência

Anonymous está procurando os envolvidos no estupro coletivo realizado no Rio de Janeiro

Grupo deixou um recado na rede Pastebin alegando a 'urgente necessidade' de que os criminosos não continuem solto

JC Online
JC Online
Publicado em 26/05/2016 às 22:10
Foto: Reprodução
Grupo deixou um recado na rede Pastebin alegando a 'urgente necessidade' de que os criminosos não continuem solto - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

O grupo de hackers Anonymous afirmou nesta quinta-feira (26) que aderiu a causa e está buscando a identidade dos 33 suspeitos de praticarem um estupro coletivo contra uma menina de 16 anos, no Rio de Janeiro. 

O crime foi divulgado no Twitter pelos próprios criminosos e é a partir da rede social que o grupo identificado como AnonOpsBrazil, começou a buscar os envolvidos no ato. 

CONFIRA ABAIXO a mensagem deixada pelos hackers na rede Pastebin (serviço na web que permite publicar fragmentos de textos/ código fonte de programas, que ficam disponíveis na net por um período ou indefinidamente): 

"CIDADÃOS DO MUNDO, NÓS SOMOS ANONYMOUS!"

“Estupradores não são doentes: são filhos saudáveis do patriarcado.”

"A sociedade e o machismo impregnado nela agem muitas vezes de maneira silenciosa. Pessoas banalizam o tempo inteiro e acabam por aceitar sua naturalização, costumeiramente atribuindo a culpa às vítimas das opressões.

Uma sociedade doente, gera pessoas doentes, assim como o caso do Rafael, que divulgou e achou graça da desgraça e covardia extrema a qual cometeu com uma jovem, ainda por cima menor de idade, junto com mais cerca de 30 homens.

A exposição desta figura é muito importante para que se possa facilitar a sua localização junto às autoridades competentes, para que possam dessa maneira localizar ainda os demais envolvidos nessa barbárie.

Não há, infelizmente, justiça que repare a dor e o trauma sofridos, porém, há a urgente necessidade de que indivíduos como estes não continuem soltos junto à sociedade.

Pedimos que compartilhem para que possamos dessa maneira localizar e, quem sabe dessa maneira, possamos assistir ao mínimo de justiça possível dentro de uma sociedade que se despreocupa com a criação de monstros como estes."

Estamos com mais dados em relação a ele, mas, esses dados serão entregue para as autoridades na ajuda pra localizar o estuprador. Sim, tomamos toda cautela para confirmar a identidade dele."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias