OPINIÃO

Nordeste é a região que mais apoia o isolamento social para conter coronavírus; Menor percentual está no Sul

Levantamento é do Paraná Pesquisa, que entrevistou 2.218 habitantes com 16 anos ou mais em 26 estados e DF

Cláudio Humberto
Cadastrado por
Cláudio Humberto
Publicado em 21/04/2020 às 7:21 | Atualizado em 21/04/2020 às 7:27
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
DÉCADA Capital teve os piores desempenhos em Saneamento e Sustentabilidade, área em que perdeu 15 posições - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

Isolamento

Levantamento do Paraná Pesquisa mostra que para a maioria (53,2%) dos brasileiros, o isolamento social deve ser mantido enquanto for necessário, independente da crise ou impacto econômico possa causar. De outro lado, somam 42,7% aqueles que não concordam com a manutenção independentemente das consequências. Não souberam responder 4,1% dos entrevistados.

Equilíbrio

A região onde o isolamento sem medir consequências tem o maior apoio é o Nordeste, com 54,1%. A menor está no Sul, 51,9%.

Sem diferença

Apoio ao isolamento sem vírgulas é idêntico entre aqueles com ensino fundamental e aqueles com ensino superior completo: 51,7%.

Dados

O Paraná Pesquisas ouviu 2.218 habitantes com 16 anos ou mais em 26 estados e DF, em 212 municípios entre os dias 13 e 16 de abril.

Bolsonaro articula a 'base'

O presidente Jair Bolsonaro tem horror à expressão 'base de apoio', que para ele tem odor desagradável, mas, após os solavancos dos últimos dias, ele decidiu autorizar seus líderes no Congresso a atuarem na articulação de uma bancada governista capaz de garantir ao governo alguma tranquilidade. A articulação começará pelo Senado, onde a expectativa do Planalto é somar uma bancada que terá entre 55 e 60 parlamentares, na maioria filiados aos partidos do 'centrão' ou 'blocão'.

Líder do Governo, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), atua como 'bombeiro' na articulação de uma nova atitude política de Bolsonaro.

O senador Flávio ajuda na articulação do Senado. Afável, ao contrário dos irmãos, o senador tem diálogo fácil até com partidos mais raivosos.

Chega de patifaria

Como deputado por quase 28 anos, Bolsonaro sabe exatamente com quantas malas e esquemas se articula uma 'base'. Isso ele não quer. Difícil será o Congresso aprender outro 'idioma', em que as bancadas  de apoio ao governo não sejam baseadas no 'toma lá, dá cá'.

Pede pra sair

A Assembleia do Amazonas aprovou o pedido de intervenção federal na Saúde do Amazonas, mas a vontade da maioria dos deputados era intervenção em todo o governo, muito ruim, do inexperiente Wilson Lima.

Voltas às aulas

Após ouvir elogios de Bolsonaro às estratégias do DF no combate ao Covid19, Osmar Terra perguntou a Ibaneis Rocha se conversaria com o presidente. Bolsonaro avalia reabrir os colégios militares. Na conversa, surgiu a ideia de fazerem juntos. No DF há 11 escolas cívico-militares com 14 mil alunos. Devem voltar às aulas no dia 4.

Frase

'Nessa confusão, a gente pode até cair, mas cai com a bússola na mão' Ministro Paulo Guedes (Economia) em videoconferência.

Sonho e pesadelo

Paulo Guedes (Economia) é um romântico. Sua esperança, confessou ontem, é que o setor público não pretenda aumento salarial por 'dois ou três anos'. Mas ele sabe: no setor público ninguém abre mão de nada.

Feliz aniversário

Brasília testemunhou presidentes depostos, ditadura e ressurreição da democracia e do voto. Viu mensalão, o maior esquema de corrupção da História no petrolão e sobrevive ao coronavírus. A capital completa 60 anos hoje.

Comentários

Últimas notícias