COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Pernambuco tem apenas uma faculdade com nota máxima em avaliação do MEC; veja os resultados

Em todo o País, os resultados foram calculados para 2.070 instituições (públicas e privadas), considerando os 24.145 cursos avaliados entre 2017 e 2019

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 23/04/2021 às 12:43
Notícia
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Alunos do Ensino Médio prestam a segunda fase do Vestibular Seriado da UPE. - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

Somente uma instituição de ensino superior de Pernambuco obteve a nota máxima no Índice Geral de Cursos (IGC) 2019. Divulgado nesta sexta-feira (23) pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o IGC é um indicador de qualidade que vai de 1 a 5 e considera na sua composição a avaliação dos cursos de graduação (pelo Conceito Preliminar de Curso, o CPC, também calculado pelo Inep) e da pós-graduação (a partir de conceitos da Capes). Vale para ensino público e privado. No País, do total de 2.070 instituições avaliadas, apenas 2,2% alcançaram  a faixa 5.

Os dados estaduais foram tabulados pelo JC a partir do material enviado pelo Inep. Pernambuco somou 84 faculdades, centros universitários e universidades, entre públicas e privadas, com IGC calculados. Dez instituições tiveram IGC 4, o que representa 11,9%. A maioria, 58, ficou com índice 3, um total de 69%. Outros 15 estabelecimentos de ensino superior somaram IGC 2, chegando a 17,8%. Nenhuma instituição do Estado ficou com IGC 1. As notas 1 e 2 são consideradas insatisfatórias, 3 é regular e 4 e 5 são satisfatórias.

O Centro Universitário Brasileiro (Unibra), instituição particular de ensino, foi a única de Pernambuco a ter IGC 5. As três universidades federais do Estado - Federal de Pernambuco (UFPE), Federal Rural (UFRPE) e Federal do Vale do São Francisco (Univasf) tiveram IGC 4. A única universidade estadual, a UPE, apresentou IGC 3. Esse mesmo índice foi dado pelo MEC para o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e o Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão).

 

NACIONAL

Ao todo, os resultados foram calculados para 2.070 instituições (públicas e privadas), considerando os 24.145 cursos avaliados entre 2017 e 2019. Do total de instituições que participaram desta edição, 87,1% (1.801) são privadas e 12,9% (269), públicas.

A maioria (73,1%) é composta por faculdades, seguida dos centros universitários (15,6%) e das universidades (9,4%). Por fim, estão os institutos federais e centros federais de educação tecnológica, que, juntos, representam 1,9% das instituições de ensino com o índice atribuído nesta edição. A concentração na faixa 3 abarcou mais da metade das instituições avaliadas (63,77%).

Observando apenas as instituições federais, o MEC informa que 106 foram avaliadas e que dessas, 71% atingiram os conceitos 4 e 5 do indicador. Quanto às 1.507 faculdades com IGC, 83,4% delas ficaram nas faixas igual ou acima de 3.

Segundo o MEC, quando se observam os 326 centros universitários, o percentual correspondente às três faixas de maior desempenho é de 98,5% (321). No caso das 197 universidades, 99% (195) alcançaram desempenho nas faixas de 3 a 5. Dos 40 institutos federais e centros federais de educação tecnológica, 65% (26) ficaram na terceira e 35% (14) na quarta faixa do IGC.

ESTADOS

Proporcionalmente, explica o MEC, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte apresentaram os melhores resultados no IGC 2019, obtendo, respectivamente, 9,2%, 6,7% e 4,2% de suas instituições de educação superior com faixa 5 no indicador. 

Na segunda maior faixa do indicador, Rio Grande do Sul (39,4%), Ceará (33,3%) e Distrito Federal (30,6%) foram os que obtiveram, proporcionalmente, o maior número de instituições com IGC 4. Considerando o total das instituições de educação superior avaliadas, 21,64% se enquadraram nessa faixa. (Com informações do MEC)

NE10
Na UFRPE, o corte, segundo o reitor, será na área de custeio - FOTO:NE10

Comentários

Últimas notícias