COLUNA MOBILIDADE

Passageiro segue sofrendo com calor nas estações de BRT do Grande Recife

As 42 unidades do sistema na Região Metropolitana do Recife continuam sem refrigeração

Roberta Soares
Cadastrado por
Roberta Soares
Publicado em 28/06/2021 às 17:54 | Atualizado em 28/06/2021 às 17:54
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Uso das máscaras segue valendo também nas estações de BRT da Região Metropolitana do Recife - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A situação das estações do BRT pernambucano, batizado de Via Livre, segue difícil. Aliás, segue quente. As 42 unidades do sistema na Região Metropolitana do Recife continuam sem refrigeração. Ou seja, sem os equipamentos de ar-condicionado e operando no calor. Em algumas estações a situação é mais crítica porque o volume de passageiros é maior, apesar da redução de demanda devido à pandemia de covid-19.

É o caso de unidades como a estação Nossa Senhora do Carmo, que atende ao Corredor Norte-Sul, e a Derby, do Corredor Leste-Oeste - ambas na área central do Recife. Depois de totalmente depenadas - ainda em 2019, depois que o Estado suspendeu a segurança noturna privada, e principalmente nos primeiros meses da pandemia, em 2020 -, as estações do BRT começaram a ser reformadas pelo governo estadual, mas estão sendo liberadas ao uso sem os equipamentos de ar-condicionado.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Algumas estações vandalizadas já foram reformadas e reabertas. Mas há falhas - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
As estações estão com aberturas na parte inferior da estrutura, solução encontrada para substituir as pequenas janelas existentes no projeto original e que foram destruídas nos atos de vandalismo - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
As estações que já passaram pela rearrumação são as localizadas no Corredor Norte-Sul. Mesmo assim, todas estão sem refrigeração - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Estações do BRT foram totalmente destruídas durante a pandemia. Governo já gastou quase R$ 10 milhões para recuperá-las - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

Sem refrigeração, a permanência nas unidades torna-se insuportável por mais de cinco minutos. Como todas as unidades do BRT pernambucano - incluindo o Corredor Leste-Oeste - tiveram os equipamentos de ar-condicionado roubados durante a quarentena do início da pandemia da covid-19, em 2020, o Grande Recife Consórcio de Transportes Metropolitano (CTM) explicou ter sido necessário realizar uma nova licitação para implantar a refrigeração.

PREVISÃO

A previsão era de que a instalação dos equipamentos começasse em junho e que fosse em todas as 42 estações do sistema (as duas da Avenida Conde da Boa Vista têm equipamentos novos). Mas até agora nada. O novo prazo do CTM é publicar o edital da licitação em 15 dias. Ou seja, são mais de três meses de espera ainda.

BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Estações do BRT foram totalmente destruídas durante a pandemia. Governo já gastou quase R$ 10 milhões para recuperá-las - BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
JAILTON JÚNIOR/JC IMAGEM
Na parte interna, o cenário era de destruição: luzes quebradas, painéis destruídos e muita sujeira - JAILTON JÚNIOR/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Durante a pandemia a vandalização aumentou e a maioria das estações do Corredor Norte-Sul e algumas do Leste-Oeste voltaram a ser invadidas, tendo piso, teto, equipamentos e fiação roubados - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM

A requalificação será feita em 20 estações, as que foram mais vandalizadas. Dessas, nove voltaram a funcionar no Grande Recife em abril de 2021 e, desde então, estão sem refrigeração. As estações reabertas até agora são: Guararapes, Forte do Brum, Istmo do Recife, Nossa Senhora do Carmo, Araripina, IEP, Tacaruna, Maurício de Nassau e Riachuelo. A rearrumação custará mais de R$ 8 milhões aos cofres públicos, vale ressaltar.

Comentários

Últimas notícias