COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Covid-19: um ano após primeira morte, Pernambuco tem 1.325 pessoas que lutam pela sobrevivência em UTI

Ao longo de um ano, o Estado totaliza 11.807 mortes em decorrência de complicações pelo novo coronavírus, cuja disseminação se acelera dia após dia

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 25/03/2021 às 5:04
Notícia
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
JUSTIÇA Decisão atende pedido do MPF em ação ajuizada em 2020 - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Pernambuco completa, nesta quinta-feira (25), um ano da primeira morte por covid-19. A vítima, que morava no Recife, foi um idoso — faixa etária que representa 76% de todos os 11.807 óbitos em decorrência das complicações da infecção. Às vésperas desse marco, em meio a uma aceleração que se supera dia após dia, a curva de contágio do novo coronavírus comprovou que estamos num crítico momento da pandemia. Na quarta-feira (24), no Estado, houve o maior número diário de confirmações da doença desde o início desse crise sanitária. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), mais 2.738 pessoas tiveram o diagnóstico da infecção. O recorde anterior era do dia 30 de dezembro, quando Pernambuco computou 2.512 casos.

Agora, Pernambuco totaliza 336.236 pessoas que já adoeceram pelo vírus: 34.969 tiveram a forma grave da doença e 301.267 apresentaram sintomas leves. Também, na quarta-feira (24), foram confirmados laboratorialmente 45 novos óbitos e, com isso, o Estado acumula 11.807 vidas perdidas por complicações da covid-19.

Diante desse cenário, que representa como o sistema de saúde tem operado no limite, o governador Paulo Câmara reforçou o apelo por cumprimento de medidas sanitárias por parte da população. "É um grave quadro de emergência sanitária que precisa ser enfrentado com todos os recursos materiais e humanos disponíveis para que mais vidas não sejam perdidas", disse, em pronunciamento pela internet. Para destacar a pressão que a covid-19 tem jogado na assistência hospitalar, o governador ressaltou que atualmente Pernambuco tem, na rede pública estadual, 1.325 pessoas internadas em um leito de terapia intensiva (UTI), com sintomas de covid-19.

"Por mais que tenhamos aberto mais de 400 leitos de UTI, em menos de um mês, e que vamos abrir mais de 200 novas vagas nos próximos dias, não vamos interromper essa aceleração da covid-19 sem passar por esse período de quarentena", alertou Câmara. Na quarta-feira (24), entraram em operação 20 novos leitos de UTI no Hospital da Mulher do Recife, que tem previsão de receber outras 20 vagas até o fim do mês. Com essa ampliação, a capital pernambucana passa a contar com 378 leitos para tratar pessoas com síndrome respiratória aguda grave. O governo do Estado também abriu leitos de UTI no Barão de Lucena (5) e no Hospital Regional de Palmares (10), na Zona da Mata Sul do Estado. Com isso, Pernambuco ultrapassa a marca dos 2,6 mil vagas para covid-19. Ao todo, já 2.611, sendo 1.437 de UTI.

Ainda durante o pronunciamento, o governador acrescentou que, no último domingo (21), o Estado alcançou 55% de isolamento social, maior patamar registrado este ano. "Agradeço a todos que compreenderam a importância de dar a sua contribuição, mesmo com todos os sacrifícios de um ano de pandemia. Precisamos aumentar os índices de isolamento para aliviar a pressão sobre o sistema de saúde. Evite sair de casa. Se for necessário sair, use máscara o tempo todo." A meta do Estado é uma taxa de isolamento de, no mínimo, 60%.

O prefeito do Recife, João Campos, destacou a necessidade de reforçar o enfrentamento à pandemia. "São três frentes necessárias neste momento: a primeira é aumentar a velocidade dos centros de vacinação. O segundo eixo é a abertura de leitos, UTI, enfermaria e sala vermelha. E o terceiro ponto é pedir a colaboração de cada um e cada uma. A gente sabe que o momento é difícil: há vidas perdidas e o impacto socioeconômico, mas que vocês possam fazer um último esforço de colaboração para a gente poder superar a pandemia o quanto antes: uso de máscara e distanciamento", sublinhou João.

Insumos

Já foi iniciada a distribuição de mais de 1,5 milhão de agulhas e seringas, aos municípios pernambucanos, para que possam dar prosseguimento à imunização contra covid-19 da população. Com esse novo lote, já são três milhões de insumos desse tipo enviados às prefeituras.

"O Governo de Pernambuco tem feito sua parte para que tenhamos sucesso na campanha de vacinação contra a covid-19. Desde o começo, garantimos que iríamos encaminhar as seringas e agulhas para as ações, em sua totalidade, e estamos cumprindo. Com o avanço das etapas, novas remessas serão enviadas para que todos os pernambucanos dos grupos prioritários sejam imunizados", reforçou o secretário Estadual de Saúde, André Longo.

Na quarta-feira (24), durante assembleia para a eleição da nova diretoria do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), realizada de forma virtual, Longo foi reeleito, por unanimidade, ao cargo de vice-presidente do órgão para a região Nordeste.

"Neste momento de agravamento da pandemia no País, o conselho tem desempenhado um papel fundamental para dar unidade no enfrentamento à covid-19 entre os Estados. Temos defendido, a partir do amplo diálogo interno, a necessidade de senso de urgência no enfrentamento a este difícil momento, com o resgate de uma coordenação nacional à crise sanitária, sempre respeitando as esferas de pactuação do Sistema Único de Saúde", destacou Longo.

O secretário também ressaltou a necessidade de os gestores continuarem a reforçar o alerta diante da gravidade da crise sanitária. "Precisamos de um amplo processo de comunicação com a sociedade, que massifique os cuidados necessários neste momento de pandemia, e a aceleração do processo de aquisição de vacinas." O Conass congrega os secretários da Saúde dos 27 Estados e do Distrito Federal, com o objetivo de fortalecer as secretarias estaduais de saúde, torná-las mais participativas na construção do setor da saúde.

 

Comentários

Últimas notícias