Vacina

Comunidade Quilombola de Alagoinha com maioria vacinada contra covid-19 será monitorada pela UFPE

Através de uma parceria Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), todo o povoado será monitorado para o acompanhamento do grau de proteção da vacina

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 06/08/2021 às 14:04
Divulgação
Antes da imunização, foram registrados cinco óbitos na comunidade e desde que a vacina começou a ser aplicada não houve nenhuma morte em decorrência da covid-19 - FOTO: Divulgação
Leitura:

A população da comunidade quilombola de Alverne, no município de Alagoinha, Agreste de Pernambuco, está quase 100% imunizada contra a covid com as duas doses da vacina Astrazeneca/Oxford. No loca, residem cerca de 400 adultos. 

Através de uma parceria Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), todo o povoado será monitorado para o acompanhamento do grau de proteção da vacina. A pesquisa segue por seis meses.

De acordo com o professor Doutor em Saúde Pública Francisco Santos, também será monitorada a eventual presença de novas variantes do novo coronavírus. A própria UFPE já identificou a predominância de 90,5% da variante gama nas amostras de 23 municípios analisados em uma pesquisa. 

"Tive a oportunidade de conhecer a comunidade, conversar com a equipe de saúde e saber as estratégias de vacinação e monitoramento das pessoas", contou Francisco. 

Imunização

Antes da imunização, foram cinco óbitos em decorrência da covid-19 na comunidade e desde que a vacina começou a ser aplicada não houve nenhum novo registro. 

"Após a segunda dose, apenas jovens menores de 18 anos foram diagnosticados por RT-PCR como positivos para a Covid-19", relatou o secretário de Saúde de Alagoinha. 

Divulgação
Comunidade Quilombola de Alverne, em Alagoinha - FOTO:Divulgação

Comentários

Últimas notícias