REGINALDO ROSSI

'Abraço em retribuição a todo amor que ele deu a Pernambuco', diz filho de Rossi sobre homenagem do Galo

Tema do Galo da Madrugada de 2024 foi anunciado em coletiva de imprensa nesta terça-feira (22)

Imagem do autor
Cadastrado por

Emannuel Bento

Publicado em 22/08/2023 às 12:34 | Atualizado em 22/08/2023 às 16:43
Notícia
X

O tema do Galo da Madrugada de 2024, anunciado em coletiva de imprensa nesta terça-feira (22), será uma grande homenagem a duas datas importantes para Reginaldo Rossi. Caso estivesse vivo, ele teria feito 80 anos em fevereiro de 2023. Já em dezembro deste ano, completam-se 10 anos de sua partida.

"Para resumir, eu diria que é um abraço que Pernambuco dá em retribuição a todo amor que ele deu a esse Estado e ao Recife durante quase meio século de carreira", diz o filho Roberto Rossi, parente que tem estado à frente da propagação do legado do pai.

"Eu fiquei sabendo do burburinho há duas ou três semanas atrás, mas a certeza, o 'pedido de casamento', veio há uma semana quando encontrei Guilherme Menezes, do Galo, por coincidência em um barzinho aqui no Recife. Nos cruzamos e ele disse, em 'off', que iriam anunciar de surpresa. É um prazer imenso."

Reginaldo Rossi morreu em 20 de dezembro de 2013 após complicações causadas por um câncer de pulmão.

Homenagens

De acordo com Roberto, não existe nenhuma outra homenagem programada até o final do ano - quando, de fato, serão completados os 10 anos da morte do cantor. No entanto, outras novidades já surgiram em 2023.

"Tem mais coisa para ouvir por aí. O Otto lançou um show inteiro com músicas de papai, apresentado no Festival de Inverno de Garanhuns desse ano. Estive com ele e cantamos juntos. Também cantei com o Conde", diz Roberto.

FELIPE SOUTO MAIOR/SECULT-PE
Otto e Roberto Rossi no FIG 2023 - FELIPE SOUTO MAIOR/SECULT-PE

A banda The Rossi, comandada por Sandro Nóbrega (que foi empresário de Reginaldo por 25 anos) teria sido um primeiro passo para uma série de homenagens. O cantor Silvério Pessoa também lançou um projeto cantando o "Rei" ainda em 2014. Uma estátua também foi inaugurada no Pátio de Santa Cruz, no Centro do Recife.

"Algumas coisas vão acontecendo ao longo do tempo. Temos duas rodovias com o nome dele, uma indo para Itamaracá e outra indo para Porto de Galinhas. As pessoas vão deixando marcas, celebrando e deixando pontos para que possamos passar e lembrar da existência. É importante que isso aconteça com outros artistas. Os artistas pernambucanos precisam disso, precisamos dar valor."

Presença digital

Reginaldo Rossi é um dos artistas que ganharam páginas nas redes sociais após a morte. Ao reunir as três principais plataformas (Instagram, Twitter e Facebook), são quase 300 mil seguidores. O projeto é coordenado por Roberto com a ajuda de George Macêdo, que atua como um curador e coordenador de projetos.

"É um trabalho de preservação para não deixar o patrono do brega se perder no tempo. Para que as pessoas continuem lembrando da importância dele, valorizando a figura histórica que ele é para Pernambuco e para o Brasil", diz George.

"Esse é um trabalho de formiguinha, já que as redes foram criadas após a morte. Ele não era muito da internet, não era da época dele. Tem sido retribuído com muito carinho. No YouTube, ultrapassamos 100 mil inscritos e estaremos recebendo a plaquinha dourada em breve", diz Roberto.

Brega no Carnaval

A homenagem a Rossi no principal bloco de Carnaval do Recife é mais um episódio de aproximação do brega com esse período festivo. Antes, havia mais "resistência" em incorporar o ritmo pela preocupação de preservar o frevo, ritmo que dá o tom da festa há mais de um século - e continuará sendo protagonista.

Essa "abertura" é um resultado da articulação de artistas e políticos nos últimos anos. Até 2017, o ritmo brega também não ocupava as grades dos eventos do Governo de Pernambuco. Isso mudou com o Projeto de Lei 16.044/2017, apelidada de "Lei do Brega", que alterou a legislação nº 14.679/2012, garantindo a preservação da manifestação brega como bem cultural do estado.

Por muito tempo, nomes do brega também pleitearam mais espaço nas grades da Prefeitura durante o Carnaval, por exemplo. Em 2020, quando a cantora Priscila Senna foi a atração principal da abertura da festa, levando 400 mil pessoas para a Praça. Em 2023, foi a vez do show "Capital do Brega" em 2023, reunindo artistas de diferentes vertentes e gerações.

CAMILA LEÃO/PCR
CARNAVAL DO RECIFE Priscila Senna durante abertura do Marco Zero em 2022 - CAMILA LEÃO/PCR
PEU RICARDO/PREFETURA DO RECIFE
BREGA-FUNK Anderson Neiff no Marco Zero do Recife no Carnaval de 2023 - PEU RICARDO/PREFETURA DO RECIFE

Em 2021, um projeto aprovado na Câmara do Recife considerou a música brega um patrimônio da cidade. A proposta partiu do vereador Marco Aurélio Filho (PTRB).

"Sem dúvida, esse momento faz parte de uma construção política que viemos desenvolvendo pela cultura periférica. O maior bloco do mundo, que é um dos maiores cartões postais da cidade, está referendando, através de Rossi, a importância desse movimento para a nossa identidade cultural", diz o parlamentar.

"Além da lei de patrimônio, já temos um mês dedicado ao movimento brega, quando faremos uma série de atividades. Desse jeito, faremos uma política pública que colabore com a sociedade, valorize os nossos artistas e dê oportunidade. A nossa cultura é plural e pode se unir em um bem maior, que é a cultura do nosso povo."

Tags

Autor