ATAQUE

Tempo chuvoso e aumento de turistas podem ter relação com incidente com tubarão em Fernando de Noronha, aponta pesquisador após ataque

Criança de 8 anos foi mordida por tubarão nesta sexta-feira (28). A vítima foi socorrida para hospital particular no Recife

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 28/01/2022 às 12:41
JC IMAGEM
Caso aconteceu na Baía do Sueste, em Fernando de Noronha - FOTO: JC IMAGEM
Leitura:

Reportagem atualizada às 19h

Após uma criança de 8 anos ter sido mordida por tubarão em Fernando de Noronha, o engenheiro de pesca e coordenador do Núcleo de Educação Ambiental Professor Fábio Hazin, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Paulo Guilherme Oliveira, apontou que o tempo chuvoso desta sexta-feira (28) e o aumento de turistas no arquipélago podem ser algumas das razões para o incidente. No entanto, essa relação é feita com base em estudos feitos sobre o comportamento da espécie no Grande Recife, já que ainda não houve um grupo de estudos focado em ataques de tubarão em Noronha.

"Eventos chuvosos tornam a água mais turva. Assim, o predador passa despercebido pela presa, e ela não consegue enxergá-lo", explicou.

O incidente aconteceu na Baía do Sueste que é, junto à do Porto, a praia mais frequentadas por banhistas em Noronha, o que também pode ter influenciado. "É lugar raso, com muitos arrecifes e com tartarugas que fazem parte da dieta de tubarões", explicou. A Praia do Sueste foi interditada após o ataque. 

O professor comentou estar em contato com Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para saber como agir a partir deste incidente, visto que anos atrás não eram registrados "ataques" de tubarão em Noronha, e que o aumento da exploração do turismo na área pode estar influenciando o comportamento da espécie. "Estamos falando de um arquipélago onde existem tubarões e onde a frequência das pessoas aumenta a cada dia. Com o número maior de pessoas na área, a probabilidade dos ataques aumenta. O aumento do turismo também pode influenciar. Uma pessoa dentro da água exerce uma certa pressão no ambiente. Duas, exerce duas vezes mais, e assim sucessivamente", comentou.

Caso aconteceu nesta sexta

Em nota, a administração da ilha informou que a criança, de 8 anos, foi socorrida com a ajuda de técnicos do ICMBio e levada até o hospital São Lucas, onde deu entrada em estado grave. "Foram realizados todos os procedimentos necessários, incluindo transfusão sanguínea, para garantir a estabilidade da paciente, que foi transferida por salvamento aéreo para um hospital particular do Recife", finaliza a nota.

O marinheiro Alex Vitor estava no local quando tudo aconteceu, e disse que a menina teve a perna amputada no ataque. "Ela estava se banhando na beira da praia. A gente estava de costas quando do nada começou a gritaria, já vimos o sangue na área. Ela estava com o pai, que começou a gritar", contou. Ele disse, ainda, que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas demorou a chegar ao local. Então, uma viatura do ICMBio a levou até uma unidade de saúde.

Incidentes com tubarão em Noronha

O Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões em Pernambuco (Cemit-PE) registrou, desde 2015, seis incidentes com tubarões no Arquipélago de Fernando de Noronha. Apesar de lesões, todas as vítimas sobreviveram. Agora, menina deve se tornar a sétima vítima computada.

Comentários

Últimas notícias