TEMPO

ALERTA CHUVA FORTE: tempestade capaz de causar desastres volta a Pernambuco

Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) trabalha com previsão de acúmulo mínimo de 100 milímetros para este fim de semana no Grande Recife e Zona da Mata

Lucas Moraes
Cadastrado por
Lucas Moraes
Publicado em 26/05/2022 às 17:56 | Atualizado em 27/05/2022 às 12:17
BRUNO CAMPOS / JC IMAGEM
Fortes chuvas causam transtornos no Grande Recife como alagamentos e deslizamentos de barreiras - FOTO: BRUNO CAMPOS / JC IMAGEM
Leitura:

Após tempestades que geraram acúmulos de cerca de 200 milímetros em 24 horas no Recife e região, a capital pernambucana deve se preparar para o retorno das chuvas fortes a partir deste sábado (28). De acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), para este fim de semana é esperado acúmulo de no mínimo 100 milímetros, com precipitações ocasionadas pelo Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL)

O fenômeno é o mesmo responsável pelas fortes chuvas dos últimos dias. A diferença, desta vez, é que ele não virá com resquícios da massa de ar polar que vinha atingindo o País e impulsionou o volume de chuvas.

 

Ainda assim, a Apac espera um grande volume de chuva neste sábado (28) e domingo (29) em toda a Região Metropolitana do Recife. Embora não consiga ainda precisar a quantidade, os meteorologistas trabalham com, no mínimo, acúmulos de 100 milímetros. 

 

"Para sábado e domingo tem possibilidade de chuva forte. O sistema meteorológico atuando é o Distúrbio Ondulatório de Leste, DOL. Uma das característica é que se comporte como uma onda, pode provocar chuva em determinado momento, e aí, em seguida, você tem chuva fraca ou até mesmo ausência de chuva e, depois, vem a continuidade da onda", explica o meteorologista da Apac Fabiano Prestelo. 

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Alagamentos no bairro do Ipsep. Chuvas no Recife // Alagamentos. Na foto: Rua Blumenau. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

Segundo ele, nestas quinta e sexta-feira, o momento da atuação do DOL é justamente de menos intensidade das precipitações, ou seja, a fase que precede o retorno dos grandes volumes de água. 

"Não temos ainda como estimar precisamente o volume das chuvas, (a Apac) diz que é semelhante (ao volume dos últimos dias), mas pode ter alguma variação para mais ou para menos. Mesmo sendo um pouquinho mais fraca ou mais forte, chuvas acima de 100 mm sempre causam alguns transtornos, bom ficar alerta em relação a pontos de alagamentos, eles (defesa civil) já estão se movimentando", alerta Prestelo.

Questionado sobre o volume mínimo esperado, ele atesta: "Mínimo seria a partir dos 100 milímetros". 

Canais oficias sobre meteorologia

A Apac ressalta que trabalha com previsões meteorológicas, e mudanças podem ocorrer num curto espaço de tempo, sendo sempre importante consultar os canais oficiais. Nesta sexta-feira, a agência segue com expediente normal e monitoramento as ações dos ventos, que podem reduzir ou ampliar a expectativa em torno do volume de chuvas. 

Estragos já contabilizados nesta semana

De acordo com o último balanço da Defesa Civil do Estado, o CBMPE confirmou, através da Central de Operações da CODECIPE, o resgate do casal que estava desaparecido desde a madrugada de ontem (25.05) no Córrego do Abacaxi, no bairro de Águas Compridas em Olinda. De acordo com o Corpo de Bombeiros as vítimas foram identificadas como Sérgio Pimentel dos Santos, de 53 anos e Rosimery Oliveira da Silva de 47 anos.

Além desse caso, outro homem morreu num deslizamento de barreira em Olinda. Um corpo foi achado no município, que pode ser de um homem desaparecido após cair em um canal, e outro homem, em Jaboatão dos Guararapes, segue desaparecido após as fortes chuvas. 

Além disso, os danos humanos repassados pelos municípios até o momento foram de que temos 695 desabrigados e 285 desalojados em todo estado.

Em Olinda 196 pessoas estão desabrigadas e 30 estão desalojadas, em Recife 499 pessoas estão desabrigadas e 82 estão desalojadas, em São José da Coroa Grande 70 pessoas estão desabrigadas, em Igarassu há 68 pessoas desalojadas, no Cabo de Santo Agostinho 18 pessoas desalojadas, no município de Xexéu 12 pessoas desalojadas, em Palmares 03 pessoas desalojadas e na cidade de Camaragibe 02 pessoas estão na mesma situação

 

Comentários

Últimas notícias