SUSPENSÃO

Parlamentares criticam MEC por decisão de manter o Enem 2020 nas datas previstas

Os parlamentares entendem que o grave cenário de crise, gerado pela pandemia do novo coronavírus, agravou as desigualdades educacionais, com um impacto direto sobre os estudantes que não dispõem de internet de qualidade para assistir aulas online

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 06/05/2020 às 19:34
Notícia
Foto: Luiz Macedo/Câmara dos Deputados
Aos 24 anos, João Campos vai tentar vaga de deputado federal e já é visto como futuro do PSB - FOTO: Foto: Luiz Macedo/Câmara dos Deputados
Leitura:

A coalizão de Coordenadores da COMEX/MEC (Comissão Externa de Acompanhamento dos Trabalhos do Ministério da Educação), assinaram o manifesto público colocando-se contrários a manutenção das datas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM 2020). A versão digital da prova está marcada para os dias 22 e 29 de novembro, e a aplicação do teste impresso permanece nos dias 1º e 8 de novembro.

>> MEC divulga vídeo sobre o Enem e gera polêmica nas redes sociais

“Neste momento, diante das medidas de isolamento social no combate à covid-19 e do fechamento das escolas, o ano letivo de milhares de estudantes está comprometido. Sem uma política nacional coordenada, estados e municípios têm o desafio de enfrentar os desdobramentos da pandemia na educação. Pondera-se ainda que o ensino não presencial de qualidade não é, infelizmente, uma realidade para todos os
alunos brasileiros e privilegia àqueles com maior acesso e conhecimento das tecnologias que o viabilizem”, declara o documento que é assinado pelos deputados João Campos (PSB-PE), Felipe Rigoni (PSB-ES), Tabata Amaral (PDT-SP), Eduardo Bismarck (PDT-CE), Luísa Canziani (PTB-PR), Professor Israel (PV-DF) e Aliel Machado (PSB-PR).

>> Em Pernambuco, 908 mil casas não têm acesso à internet por falta de dinheiro ou porque as pessoas não sabem usá-la

Ainda de acordo com os parlamentares, o Ministério da Educação têm se mostrado “distante da realidade quando determina a previsão do Enem, em pleno contexto de anormalidade devido à pandemia global da covid-19”. Eles declaram a apoio ao Projeto de Decreto Legislativo nº 167/2020, que suspende o edital do exame e fazem um apelo ao Congresso Nacional para que a matéria seja votada com urgência.



Além da suspensão do Enem 2020, o texto propõe que a discussão para uma nova data com o sistema educacional, seja iniciado mediante a retomada do calendário de aulas. “Precisamos minimizar os efeitos negativos dessa crise garantindo a saúde de nossos jovens e reduzindo os efeitos perversos do acesso desigual à educação não presencial de qualidade”, finaliza a nota pública.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias