GOIÁS

Fazendeiro que teria ajudado Lázaro, o 'serial killer de Brasília', tem prisão preventiva decretada; caseiro é solto

Os dois homens tinham sido presos nessa quinta-feira (24). Lázaro segue foragido

Bruna Oliveira
Cadastrado por
Bruna Oliveira
Publicado em 25/06/2021 às 21:47 | Atualizado em 25/06/2021 às 22:01
SERGIO LIMA / AFP
Buscas por Lázaro Barbosa em Cocalzinho de Goiás - FOTO: SERGIO LIMA / AFP
Leitura:

Com informações do Correio Braziliense

A Justiça de Goiás converteu a prisão do fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, de 73 anos, em preventiva. O idoso foi preso em flagrante nessa quinta-feira (24) porque teria ajudado na fuga de Lázaro Barbosa, de 32 anos, e por porte ilegal de arma de fogo. O caseiro que trabalhava na propriedade dele, Alain Reis de Santana, de 32 anos, que também havia sido detido, foi liberado em audiência de custódia, realizada nesta sexta-feira (25).

A defesa de Elmi Caetano solicitou à Vara Criminal da Comarca de Cocalzinho de Goiás a prisão domiciliar e a concessão da liberdade provisória do fazendeiro. O pedido também enfatizou as condições do presídio e falta de atendimento especializado.

"Quanto ao autuado Elmi Caetano, que sua liberdade representa risco efetivo à ordem publica. O fato apresenta extrema gravidade concreta. Foram reunidos indícios de que ele, por vários dias, deu guarida, em sua fazenda, a criminoso que se supõe de altíssima periculosidade, investigado por praticar crimes gravíssimos e procurado, há mais de 15 dias, por força-tarefa que congrega centenas de policiais", disse a juíza Luciana Oliveira na decisão.

Além disso, ela citou a difícil situação que os moradores estão passando com medo de Lázaro cometer novos crimes na região. "Por tais razões, entendo estar presente o perigo gerado pelo estado de liberdade e serem insuficientes medidas cautelares não detentivas para resguardar os bens jurídico em tela", falou a juíza.

A liberação do caseiro Alain Reis se deu porque, de acordo com a juíza, os indícios de autoria colhidos até o momento eram frágeis, até porque, a relação com o outro autuado é de patrão-empregado. Sendo assim, ela afirmou que não foi possível extrair dos autos que o funcionário tenha aderido a suposta conduta de ajudar Lázaro.

Buscas

Cerca de 300 policiais - entre policiais militar, civil e federal de Goiás e do Distrito Federal -, estão envolvidos nas buscas por Lázaro Barbosa de Sousa, em Cocalzinho de Goiás. Estão sendo utilizados três helicópteros, cães farejadores, equipes munidas de equipamentos de visão noturna e térmica, drones e profissionais da inteligência. Os agentes também contam com 40 rádios comunicadores cedidos pelo exército brasileiro.

Os policiais enfrentam dificuldades em encontrar Lázaro pelo fato do suspeito ser especialista na mata da região, conseguindo se esconder e despistar os agentes. Na cidade de Cocalzinho de Goiás, divisa com o DF, foi montado um perímetro onde as operações se concentram. A secretaria de segurança do estado disse ainda que a força-tarefa está avançando nas buscas a Lázaro e que o cerco está ficando cada vez mais fechado.

A SSP reforça que as informações verdadeiras e relevantes para as buscas sejam enviadas para o disque-denúncia (61) 9 9839-5284.

Comentários

Últimas notícias