COLUNA MOBILIDADE

Você sabia que carros novos terão limitador de velocidade? Veja como vai funcionar

Nova ferramenta deverá reduzir a fatalidade e os sinistros de trânsito. Será exigida em todos os carros fabricados a partir de julho de 2022 na União Europeia

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 07/07/2021 às 17:51
Notícia
MARCOS PASTICH/PCR
O objetivo é um só: reduzir a fatalidade e os sinistros de trânsito. No Brasil, são mais de 30 mil mortos e 500 mil mutilados por ano - FOTO: MARCOS PASTICH/PCR
Leitura:

O objetivo é um só: reduzir a fatalidade e os sinistros de trânsito (não é mais acidente de trânsito; entenda a razão). Por isso, todos os carros novos teriam limitador de velocidade de fábrica. E a previsão é de que a novidade seja implementada já a partir de 2022. Por enquanto, nos países que compõem a União Europeia. Mas sendo validado por lá, é uma questão de tempo chegar ao Brasil, onde o trânsito mata mais de 30 mil pessoas e mutila outras 500 mil por ano.

A Instrução 2144 de 2019 determina que os novos sistemas devem estar em uso a partir de 6 de julho do próximo ano. O controle de velocidade seria possível com a instalação do ISA (Intelligent Speed Assistence), um limitador de velocidade automático que cruza informações do GPS com dados locais da via em que o condutor está, impedindo o motorista de exceder os limites de velocidade determinados nas rodovias.

THIAGO LUCAS/ ARTES JC
Por que reduzir a velocidade das vias? - THIAGO LUCAS/ ARTES JC

O ISA alerta o condutor com sinais sonoros. E, caso o motorista não obedeça, o sistema teria capacidade de não atender à pressão exercida pelo condutor no acelerador. As funcionalidades do sistema, no entanto, ainda não estão totalmente definidas porque têm gerado polêmica entre os construtores. Há aqueles que defendem que haja um botão para o condutor desativar o sistema, enquanto outros são contrários por entender que o ISA perderia o sentido.

Confira a série de reportagens Por um novo transitar


Para Paulo Pêgas, perito em sinistros de trânsito e pesquisador da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal) da ONU, a tendência é que, cada vez mais, a tecnologia seja utilizada a favor da segurança viária. “Vai chegar um momento em que os veículos vão fazer a leitura automática das placas de velocidade nas rodovias e avenidas e esse será o limite de deslocamento. A tecnologia caminha para isso. Há cinco anos, já dirigi um carro da Mercedes assim na Alemanha. Tinha limitador de velocidade”, exemplifica.

Mas para Pêgas, o sistema não pode ser autônomo. Deve apenas alertar e orientar o motorista. “Você não pode ter um mecanismo de limite de velocidade que tire a autonomia do motorista. É perigoso porque pode haver uma emergência, uma situação em que o condutor precise trafegar acima da velocidade limite, como um socorro, por exemplo. Defendo que o limitador seja restrito a um sinal, à emissão de um alerta. A segurança do trânsito é fundamental e sabemos que em 99% das ocasiões de excesso de velocidade não existem razões para tal atitude, mas as situações de emergência podem acontecer”,argumenta.

ARTES JC
São pedestres, ciclistas, passageiros e motoristas mortos pelo excesso de velocidade ao volante, pelo descaso diante da legislação e pela mistura álcool e direção - ARTES JC

Os novos sistemas de segurança obrigatórios pela UE

* ISA (Intelligent Speed Assistence): limitador de velocidade automático que cruza informações do GPS com dados locais da via, impedindo o motorista de exceder os limites de velocidade.
Sistema de câmaras de monitorização interna: avalia o estado do condutor através de câmaras internas. Avisa o condutor no caso de sonolência e distração (uso de telemóveis, por exemplo). E pode bloquear o veículo se notar que o motorista não está em condições de conduzir por causa de drogas ou álcool.

* Gravador de dados de eventos (EDR): Caixa negra do veículo, que regista o que houve no caso de um sinistro de trânsito.

* Sistema de câmeras e assistência de marcha atrás: passa a ser obrigatória para todos os veículos, com recurso à câmera e sensores.

* Parada automática de emergência: o veículo reconhece o sinal vermelho e para.

* Lane-keeping assistance: sistema automático que garante que o veículo não sai da faixa de rodagem de forma abrupta.

 

* Travagem de emergência automática (AEBS): o radar mede continuamente a distância entre os veículos, ciclistas e pessoas, por exemplo, fazendo a travagem de emergência se o motorista não responder em tempo útil.

* Cintos de segurança otimizados: já testados em simulações de choques frontais.

* Vidros de segurança otimizados: já testados em simulações de choques frontais.

* Barra de proteção de impacto lateral: para melhorar a segurança dos ocupantes dos veículos.

* Melhoramento da visão dos motoristas de autocarro e camihões: objetivo é remover pontos cegos dos condutores.

* Sistemas de aviso na frente e lateral do veículo: para detectar e avisar aos motoristas sobre pessoas e ciclistas na estrada, especialmente nas curvas.

* Sistema automático de monitorização da pressão dos pneus

TVJC
A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que um aumento de 1 km/h na velocidade média leva a um acréscimo de 3% no risco de perda e de 4% a 5% de mortes - TVJC

Comentários

Últimas notícias