Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol do Brasil e do mundo, basquete, NFL e todos os esportes
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, futebol nacional e internacional. Basquete, NFL, Fórmula 1 e todos os esportes Com análise, interatividade e opinião

ELEIÇÕES DO TIMBU

Semana marcada por graves denúncias de assédio coloca eleições do Náutico em segundo plano

O primeiro caso veio à tona na última segunda-feira (22)

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 28/11/2021 às 8:04
TIAGO CALDAS/CNC; FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM; DIVULGAÇÃO
As eleições do Náutico acontecem no dia 5 de dezembro. - FOTO: TIAGO CALDAS/CNC; FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM; DIVULGAÇÃO
Leitura:

A penúltima semana antes da realização das eleições do Náutico foi marcada por graves denúncias de assédio contra Errisson Melo, agora ex-superintendente financeiro do clube e irmão de Edno Melo, atual presidente. Dada a gravidade do tema, as eleições do clube deixaram de ser o centro das atenções como se esperava, uma vez que a data se aproxima - o pleito será realizado no próximo dia 5 de dezembro.

>> Em quem você vai votar para presidente do Náutico? Participe da enquete 

>> Náutico tenta fazer o absurdo: transformar assédio em factoide

>> Presidente do Náutico fala sobre caso de assédio no clube, cita uso eleitoral e oposição reage; ouça 

>> Após denúncia de assédio no clube, Náutico anuncia contratação de empresa para combater e prevenir novos casos

>> Caso de assédio no Náutico: advogado de funcionário classifica acusação como "factoide" e questiona anonimato de outras vítimas

>> Patrocinador cobra explicações do Náutico sobre episódio de importunação sexual de funcionário

>> Mais uma denúncia contra ex-funcionário do Náutico por assédio; vítima é menor de idade

O primeiro caso veio à tona na última segunda-feira (22), quando Tatiana Roma, ex-diretora da Mulher e Operações do alvirrubro tornou público um relato de que havia sofrido assédio moral e importunação sexual de autoria de Errison. No decorrer dos últimos dias, outras mulheres revelaram terem sido vítimas dele, inclusive uma adolescente de 15 anos. 

Enquanto as novas denúncias surgiam, Edno Melo e o advogado de Errison, José Augusto Branco, insistiam em afirmar que os casos seriam, na verdade, "factoides" para tumultuar o ambiente eleitoral do alvirrubro. Mesmo sendo constantemente associado às eleições, o assunto foi pouco abordado pelos candidatos que estão na disputa.  

Nome que encabeça uma das chapas de oposição, Bruno Becker, candidato à presidência pela Náutico Sustentável, foi apontado pelo atual presidente do clube e pelo advogado do acusado como a parte política interessada no surgimento das denúncias. Na última terça-feira (23), ele respondeu em entrevista ao vivo na Rádio Jornal as declarações de Edno Melo, dadas instantes antes. 

Vice-presidente jurídico, na época, Becker explicou a participação que teve no caso antes de se tornar público. Ele contou que apenas escreveu o acordo entre as partes e entrou como testemunha. "Lamento o que esses dois cidadãos (Edno Melo e Alexandre Carneiro) falaram. Desafio qualquer um dos dois a sentar numa mesa e refutar qualquer coisa que eu esteja falando. Agora, quero ver se eles provam o que estão falando da minha pessoa. Sobre o acordo, eu redigi, assinei como testemunha. As partes vieram ao meu escritório, onde eu dou expediente", afirmou.

"Não dou expediente no clube, diferentemente de outras pessoas. O acordo foi celebrado aqui, de forma pública. Internamente, as partes sabiam. Desafio seu Alexandre Carneiro e seu Edno Melo a provarem que estou faltando com a verdade. Agora, se eles quiserem atacar a minha honra, não será o melhor caminho", completou.

Becker ainda rebateu as declarações de Edno Melo (presidente do Executivo) e Alexandre Carneiro (presidente do Conselho Deliberativo). Ele declarou que ambos estão querendo transformar o caso em uma ação eleitoral. O candidato a presidente do Náutico também reiterou e frisou que irá mostrar quem são as pessoas "que vivem do clube".

"Estão dizendo que estou criando fatos, o que é uma denúncia gravíssima, dizer que isso se trata de uma ação eleitoral. Não só uma pessoa se queixou sobre isso. Talvez seja uma covardia misturada com medo por parte deles. Não tenho medo de nada e de ninguém. Não tenho o que esconder. Ao contrário do lado de lá, pois parece que a covardia é gigante", comentou.

"Todo mundo sabe quem vive do clube. As coisas devem e irão aparecer. Irei apresentar ao Conselho e quero ver se o presidente cumprirá com a sua obrigação vai engavetar. Quem está dando cunho eleitoral ao caso são essas duas pessoas. O fato chegou ao conhecimento do senhor Edno Melo em julho, quando não existia eleição na pauta do clube. No Conselho Deliberativo, a mesma coisa. Chegou em setembro", acrescentou.

Diógenes Braga, atual vice-presidente Executivo e de Futebol, além de candidato da situação na chapa Avança Náutico, só chegou a tocar no assunto nesta sexta-feira (26), ao ser questionado em entrevista à Rádio Clube.

"Eu fiquei sabendo quando houve a ação no conselho. O presidente Edno foi comunicado, me falou e eu perguntei o que estava sendo feito e ele disse: 'estou tocando junto com o jurídico'. Nesse momento eu estava muito mergulhado no futebol e em um intervalo bem de tempo, poucos dias, me chegou a informação: 'houve uma transação extra-judicial onde as partes se entenderam'. Ok. E fui surpreendido como todos vocês, tenho a mesma reação que todos vocês com os últimos acontecimentos. Essa é a verdade dos fatos", disse.  

Procurada pela reportagem do Blog do Torcedor, a chapa Inova Náutico, que tem como candidato à presidência Plínio Albuquerque, se posicionou em relação ao caso por meio de uma nota oficial. A candidatura repudiou o fato e afirmou estar acompanhando o caso de perto, além de estar "estarrecida com a postura da atual gestão" do clube. 

Veja a nota na íntegra:

"É com tristeza e solidariedade à vítima dessa denúncia envolvendo a direção da atual gestão do Clube Náutico Capibaribe, que, toda a Chapa Inova Náutico 10, vem publicamente se manifestar em repúdio a um fato com tamanha gravidade.

A denúncia já virou caso de polícia, uma vez que a ex-diretora do Clube, Tatiana Roma, formalizou um Boletim de Ocorrência - BO - junto à Delegacia da Mulher, em Santo Amaro.

De acordo com a ofendida, o atual gestor financeiro do Náutico, Errison Melo, irmão do presidente Edno Melo, teria praticado importunação sexual, calúnia, difamação e injúria. Segundo consta Na notitia criminis, a ex-diretora também declarou que quatro outras vítimas sofreram o mesmo tipo de violência de autoria suposto agressor.

A chapa Inova Náutico 10 está acompanhando o caso de perto e aguarda uma investigação efetiva, clara e célere, ao tempo em que presta total e irrestrita solidariedade às ofendidas. Nós lamentamos profundamente que fatos dessa natureza possam acontecer em qualquer lugar do mundo e ainda mais dentro do nosso Clube Náutico.

Diante desse episódio, estamos estarrecidos com a postura da atual gestão do Clube Náutico Capibaribe, em todas as esferas de poder, especialmente quanto ao tal acordo firmado com a ex-diretora/vítima, com o nítido objetivo de manter o caso em sigilo, o que é um fato inaceitável.
Não toleramos tais abusos e pedimos que todos os órgãos competentes e a sociedade também acompanhem o caso.

A ex-diretora ainda relata que procurou o presidente do clube, Edno Melo, para falar sobre o assunto e o dirigente teria proposto um acordo extrajudicial para a retirada da "denúncia" perante o Conselho Deliberativo em troca da doação de 50 (cinquenta) cestas básicas para o Lar do Neném (ONG que acolhe crianças de 0 a 4 anos em situação de abandono ou risco). Acordo esse protocolado e assinado e que não teria sido cumprido.

Por fim, a Chapa Inova Náutico 10, em nome do candidato a presidente Plínio Albuquerque e do candidato a vice-presidente Promotor Waldir Mendonça, está comprometida a acompanhar de perto todos os desdobramentos dessa investigação, aguardando a adoção de todas as medidas legais cabíveis, ante um caso de extrema gravidade, com a punição exemplar dos responsáveis, evidentemente respeitado o direito ao contraditório e à ampla defesa, princípios norteadores do processo penal."

VEJA MAIS CONTEÚDO SOBRE O NÁUTICO

Comentários

Últimas notícias