geraldão

Novo Geraldão resgata 50 anos de lembranças e histórias

Com 95% da reforma concluída, Ginásio Esportivo Geraldo Magalhães, o Geraldão, está muito perto de abrir seus portões para a população

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 07/02/2020 às 17:43
Notícia
Brenda Alcântara/JC Imagem
FOTO: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

Com 95% da reforma concluída, o novo Ginásio Esportivo Geraldo Magalhães, o Geraldão, está muito perto de voltar a abrir seus portões para a população. Após sete longos anos de espera, o equipamento, que completará 50 anos de sua fundação, será inaugurado ainda no primeiro semestre de 2020 em um evento cuidadosamente organizado pelo Prefeitura do Recife – ainda sem data e atrações confirmadas. Não à toa, a expectativa é enorme. Afinal, o Geraldão faz parte da memória afetiva dos recifenses que frequentaram o ginásio nas décadas de 1970, 80, 90 e início dos anos 2000. Presenciaram eventos culturais como os shows históricos de A-HA, Faith No More, além dos jogos da seleção brasileira. A previsão é que a reforma finalize no final de março. Uma vez pronto e entregue, a gestão do equipamento ficará sob responsabilidade da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer do município.

Brenda Alcântara/JC Imagem
Geraldão será inaugurado ainda no primeiro semestre de 2020 - Brenda Alcântara/JC Imagem
Brenda Alcântara/JC Imagem
Reforma do equipamento tem mais de seis anos - Brenda Alcântara/JC Imagem
Brenda Alcântara/JC Imagem
Sinalização do equipamento está no processo de finalização - Brenda Alcântara/JC Imagem
Brenda Alcântara/JC Imagem
Acessibilidade da quadra - Brenda Alcântara/JC Imagem
Brenda Alcântara/JC Imagem
O placar eletrônico - Brenda Alcântara/JC Imagem
Brenda Alcântara/JC Imagem
Parque aquático com piscina semiolímpica - Brenda Alcântara/JC Imagem
Brenda Alcântara/JC Imagem
Capacidade para 8.943 pessoas em jogos - Brenda Alcântara/JC Imagem

Inicialmente orçada em R$ 34 milhões, a reforma enfrentou vários problemas logísticos, além da crise econômica que marcou o País nos últimos anos. Foi paralisada por meses e precisou ter sua data de entrega adiada. O orçamento final pulou para R$ 45 milhões, divididos em recursos do Governo Federal, por meio do Ministério do Esporte, com o aporte de R$ 20 milhões, e os R$ 25 milhões da prefeitura da cidade.

 

De acordo com a secretária de Turismo, Esportes e Lazer, Ana Paula Vilaça, a crise econômica retardou o andamento da reforma, culminando também em reajustes no contrato. “Este foi o grande entrave que paralisou a obra por um tempo. Só que em 2017 conseguimos retomar com todo fôlego e gás e agora estamos com 95% concluída. Faltando pequenos ajustes na parte de climatização, da área externa, de paisagismo e de sinalização”, comentou a secretária, que completou. “O que importa é que o complexo será devolvido à população. É um equipamento multiuso, onde serão ofertadas atividades esportivas, culturais e de lazer. Terá funcionamento no dia a dia além de sediar eventos nacionais e internacionais”, observou. 

>> Geraldão oferta vagas para oito modalidades esportivas

>> Prefeitura lança edital de licitação para reformar o Geraldão

O Geraldão foi fundado em 1970 e completará 50 anos em 2020. De lá para cá, foi palco de vários eventos esportivos, shows históricos que até hoje fazem os recifenses terem saudade dos velho tempos. O longo período em atividade desgastou a estrutura e deixou o ginásio com aspecto de abandono, maltratado pelos anos de sua trajetória. O equipamento já não atendia ao padrão esportivo internacional e ficou impossibilitado de receber competições. O último evento sediado pelo ginásio aconteceu em 2012, quando a seleção brasileira de futsal derrotou a Costa Rica por 5x0, em um amistoso internacional. Dez anos antes, o Geraldão estava no auge e foi palco do histórico jogo da seleção brasileira masculina de vôlei pela Liga Mundial, em 2002. Na época, registrou o maior público da história, com 17 mil pessoas.

MODERNIZAÇÃO

O novo Geraldão conta com Parque Aquático, que foi inaugurado há três anos e já funciona com aulas de hidroginástica e natação. Orçado em R$ 1 milhão, o local ganhou uma piscina semiolímpica, com dimensão de 25mx12m e seis raias, além da antiga piscina que foi requalificada e passa por manutenção. O ginásio também enfrentou mudanças estruturais para voltar a receber grandes torneios. A modernização garantiu nova quadra poliesportiva, coberta termoacústica, placar eletrônico, 12 camarotes, instalações de sistemas e climatização, revestimentos da estrutura interna e externa, duas rampas de acesso laterais, piso tátil e cadeiras em todos os anéis.

Os 5% da reforma que precisam ser completados recaem sobre detalhes de paisagismo e instalação da climatização. “Isso também vai ser um diferencial, além de ajustes de portas, sinalizações. Mas lembrando que o equipamento já está sendo usado, atendendo à população durante suas obras”, lembrou a gestora. Ela se refere ao serviço que será ampliado e ficará disponível a partir de março, com aulas em oito modalidades esportivas e de lazer. A prefeitura já conta com 900 pessoas matriculadas e disponibilizou mais 1.090 vagas na semana passada, além da abertura de mais 1.025 inscrições previstas para o próximo mês.

O equipamento também trará como novidade o desenvolvimento de um laboratório de alto rendimento, que acompanhará a evolução de atletas profissionais do Recife e região. “Será o primeiro do Nordeste. A prefeitura vem investimento justamente no esporte de alto rendimento, com projetos no atletismo e no vôlei de praia. Esse laboratório vai permitir um acompanhamento detalhado desses talentos, que são tratados como futuros atletas profissionais. Vai ser uma referência. Estamos no processo de contratação dos equipamentos, que são muito específicos e são produzidos fora do País. Firmamos uma parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e os professores da instituição vão dar o suporte técnico” explicou Ana Paula.

Responsável por lembranças que habitam o inconsciente coletivo dos recifenses, o Geraldão desperta um sentimento de euforia na comunidade esportiva da cidade. Há expectativa por parte das federações, ansiosas em sediar torneios e pleitear a vinda da seleção brasileira para o Recife. Há expectativa por parte dos atletas. Os veteranos querem voltar ao palco histórico e os mais jovens estão curiosos para conhecê-lo. A expectativa também é enorme para o cenário cultural. Com a reabertura de um novo palco, há a possibilidade de trazer novos shows emblemáticos e aquecer o turismo local.

Últimas notícias