MEIO AMBIENTE

Entenda como será interdição de trecho da praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, após ataques de tubarão

A interdição, que ocorrerá por tempo indeterminado, compreende a área localizada entre a Igrejinha de Piedade e o Barramares Hotel, e acontece após dois incidentes com tubarão na localidade em um espaço de 15 dias

Katarina Moraes Vanessa Moura
Katarina Moraes
Vanessa Moura
Publicado em 27/07/2021 às 11:54
Notícia
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A interdição ficará em vigor por tempo indeterminado - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O banho de mar em um trecho de 2,2 km da praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, foi proibido pela prefeitura do município nesta terça-feira (27). A interdição, que ocorrerá por tempo indeterminado, compreende a área localizada entre a Igrejinha de Piedade e o Barramares Hotel, e acontece após dois incidentes com tubarão acontecerem na localidade em um espaço de 15 dias.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A interdição ficará em vigor por tempo indeterminado - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A interdição ficará em vigor por tempo indeterminado - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A interdição ficará em vigor por tempo indeterminado - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A interdição ficará em vigor por tempo indeterminado - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A interdição ficará em vigor por tempo indeterminado - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
A interdição ficará em vigor por tempo indeterminado - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

Leia mais: 

Com interdição do mar após ataques de tubarão, comerciantes da praia na Igrejinha de Piedade pedem atenção do poder público

Após dois ataques de tubarão em 15 dias, trecho de praia é interditado em Piedade, em Jaboatão dos Guararapes

O que se sabe sobre as investigações do novo ataque de tubarão na Praia de Piedade

Vítima de ataque de tubarão na Praia de Piedade está consciente e estável, diz HR

Para implementar a medida dura e inédita no litoral pernambucano, cerca de 80 fiscais da prefeitura estão no local nesta terça para orientar os banhistas, além de apoio do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Caso eles se recusem a sair do mar, serão conduzidos por policiais até a delegacia mais próxima e poderão responder por desacato policial - medida autorizada desde 2014 por decreto estadual. A caminhada pela areia e o comércio de praia estão liberados, mas o banho de mar é proibido.

Como parte da ação, dez banheiros químicos e dez chuveiros foram instalados no trecho, para atender a demanda da área. A ideia é justamente para tentar evitar que os banhistas entrem no mar e se arrisquem. Isso porque verificou-se que nos últimos ataques ocorridos naquela área, as vítimas entraram na água para urinar ou para tirar a areia do corpo. 

"Uma das justificativas das últimas ocorrências é que as pessoas entravam no mar para se banhar ou fazer suas necessidades, então a prefeitura resolveu ampliar a quantidade de banheiros químicos e instalar chuveiros para que pessoas que frequentam essa área possam usar os equipamentos e não entrem no mar", explicou o vice-prefeito de Jaboatão, Luiz Medeiros. 

Leia mais:

Vídeos: veja como foi o resgate da vítima de ataque de tubarão na Igrejinha de Piedade

Ataques de tubarão em Pernambuco: governo do Estado, Prefeitura de Jaboatão e pesquisadores precisam agir. E rapidamente

Pesquisador pede interdição de trechos de praias por risco de ataque de tubarão no Grande Recife

Novo ataque de tubarão acontece dias após pesquisador pedir interdição de trecho da Igrejinha de Piedade

José Ivan é barraqueiro há 20 anos no local e teme que a proibição do banho de mar afasta os clientes da Orla. Fragilizado pela pandemia da covid-19, que diminuiu drasticamente o movimento da praia, a situação parece longe de melhorar. “Estávamos sem poder trabalhar por conta da pandemia, e agora quando o movimento tava começando a reagir, de repente veio o primeiro ataque, depois o segundo, e agora a interdição do banho. Fica complicado saber como vai ficar a nossa situação", desabafou.

Um auxílio emergencial municipal de R$ 180 durante três meses, destinado aos comerciantes de praia, está sendo discutido pela prefeitura. E deve entrar em vigor nos próximos dias, garantiu o vice-prefeito.

Esta é a primeira vez que uma interdição é adotada no litoral pernambucano para evitar ataques de tubarão contra banhistas. Os detalhes foram definidos em reunião na sede da Secretaria de Defesa Social do Estado, nessa segunda-feira (26), e a interdição do trecho perigoso leva em consideração a recomendação feita pelo pesquisador da Universidade Federal Rural de Pernambuco e especialista no assunto, Jonas Rodrigues, em laudo técnico entregue ao Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit). A recomendação foi publicada em primeira mão pela coluna Ronda JC

O prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, assinou o decreto municipal determinando a interdição já a partir desta terça-feira. O banho de mar, portanto, está proibido. No texto, destacou-se que 14 incidentes já ocorreram no trecho citado.

Paralela à ação, técnicos da prefeitura e pesquisadores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) realizam estudos na área para tentar encontrar uma solução e mitigar o problema.

Na areia, banhistas e frequentadores da praia aprovaram a interdição. "É triste, né? Viajar quatro horas e saber que não posso tomar um banho de mar é ruim, mas é pela segurança, então tudo bem. Agora é só banho de rio, mesmo", revelou Deilton Cesar Santana, que veio de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste, para curtir uma praia nesta terça. 

A paulista Marcia Maria da Silva, também decidiu não arriscar. Ela veio turistar em Pernambuco e, após os dois ataques de tubarão deste mês, optou por ficar só olhando. "Estou hospedada aqui mesmo em Jaboatão, vim a passeio e até fiquei sabendo desse primeiro ataque que teve esse mês, mas mesmo assim vim na teimosia querendo nadar. Depois desse segundo ataque, eu recuei e vi que é perigoso mesmo, né? Vou ficar só olhando mesmo". 

De acordo com o Coronel Valdir Oliveira, presidente do Comitê de Monitoramento de Incidentes com Tubarões do Estado (Cemit), a fiscalização por parte do Corpo de Bombeiros será mais rígida em caso de descumprimento das regras.

Leia mais:

Banhista morre após ser atacado por tubarão na Igrejinha de Piedade, no Grande Recife, neste sábado (10)

Ataque de tubarão em Pernambuco: vítima não estava no fundo e entrou no mar apenas para tirar areia do corpo, dizem bombeiros

As imagens do ataque de tubarão na praia de Piedade, no Grande Recife

Pesquisadores da UFRPE revelam características de tubarão que mordeu banhista na Praia de Piedade

"Nossa intenção é conscientizar a população, desde que sejam aceitadas as medidas de segurança. As pessoas serão orientadas a não entrar na água e a sair da água caso já estejam dentro, se mesmo assim insistirem, serão detidas e encaminhadas à delegacia pelo crime de desacato", informou.

Ainda segundo ele, é necessário que a população atue de forma conjunta às forças de segurança, obedecendo e respeitando todas as medidas preventivas. "Os últimos ataques que aconteceram por aqui foram em pessoas que desobedeceram as medidas de segurança que adotamos. Esse último caso, por exemplo, temos relato de que a vítima já tinha sido retirada duas vezes do mar pelo corpo de bombeiros, e da terceira vez, quando ia ser retirado, ele foi atacado", completou o coronel.

artes jc
tubarão - artes jc

 

POR QUE O RISCO MAIOR NA ALTURA DA IGREJINHA?

Existe uma geografia favorável às investidas naquele ponto. Quem explica a razão para que quase 20% de todos os ataques de tubarão no Estado tenha sido no local - segundo o Cemit - é a especialista em tubarões, oceanóloga e professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Rosângela Lessa. "Naquele ponto há uma abertura nos arrecifes que faz com que as águas do raso e das áreas mais fundas se relacionem. Se o tubarão estiver circulando na região, tem acesso fácil às áreas mais rasas. Também há um aprofundamento da costa naquele local, o que facilita a aproximação dos animais”, afirmou em entrevista ao JC, após o ataque do dia 10 de julho.

SAÚDE

Vítima mais recente de ataque, Heverton Guimarães Reis segue internado no Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife. Mordido na parte posterior da coxa esquerda e glúteos, ele precisou passar por cirurgia ainda no domingo. Ontem, já foi encaminhado para a enfermaria, onde segue estável, consciente e orientado. Ainda não há previsão de alta. Por causa da pandemia da covid-19, visitas estão ainda restritas.

Heverton foi mordido pelo tubarão por volta de 12h20, segundo o Corpo de Bombeiros. Aquela teria sido a segunda entrada dele no mar. Testemunhas contaram que a vítima foi alertada para não entrar na água. A orientação foi dada por barraqueiros, que lembraram o ataque ocorrido no último dia 10, e também por bombeiros que trabalhavam no local. Mesmo assim, o despachante arriscou e entrou no mar. Por pouco, não perdeu a vida.

O local tem várias placas alertando sobre o perigo de entrar no mar e nadar. Mas quase sempre são ignoradas pela população. Dos 68 ataques em Pernambuco (incluindo quatro no Arquipélago de Fernando de Noronha) desde o ano de 1992, 14 foram na altura da igrejinha de Piedade.

Comentários

Últimas notícias