LGBTQIA+

O que é uma pessoa não-binária?

A discussão sobre pessoas não binárias e o uso da linguagem neutra tem crescido nas redes sociais

Romero Rafael Samantha Oliveira
Romero Rafael
Samantha Oliveira
Publicado em 23/03/2022 às 11:00 | Atualizado em 23/03/2022 às 11:04
Demi Lovato (Foto: Reprodução/Instagram/Amanda Charchian)
Demi Lovato (Foto: Reprodução/Instagram/Amanda Charchian)
Leitura:

Tanto dentro quanto fora da comunidade LGBTQIA+, a binariedade entre ser "homem" ou "mulher" já é algo passível de discussão. Em outras palavras, vem se notando uma discussão maior sobre possíveis identidades de gênero - que não necessariamente são aquelas determinadas ao nascer.

Nesse campo, tem crescido gradativamente os questionamentos acerca da não binariedade de gênero e quem são essas pessoas - as não binárias.

Por mais que pareça um termo novo, esse tipo de identificação já se manifesta - de maneiras diferentes - em povos mais antigos. Na cultura indígena dos povos norte-americanos, por exemplo, existe a sigla 2S que, em tradução literal, significa dois espíritos habitando em um mesmo corpo. Esse é um dos conceitos que questiona a binariedade - ou seja, apenas duas possibilidades - de gênero. Clique aqui para entender melhor. 

Binarismo: masculino e feminino

Até pouco tempo, o pensamento dominante na sociedade estreitava gênero a masculino e feminino, apenas. Ou seja, uma pessoa ou era homem ou era mulher, e se identificava como tal conforme o sexo biológico de nascimento.

Sendo gênero uma forma de identificação, entende-se hoje que a identidade de gênero é algo além dos órgãos genitais, das funções reprodutivas etc. Diz respeito à forma como a pessoa quer se expressar no mundo, com o que ela se identifica.

Não-binaridade

Se antes a pessoa era definida como homem ou mulher, um padrão binário (a palavra vem de bi, que é igual a dois), hoje, ela tem a liberdade de não se identificar com um nem com outro, ou de não querer se restringir a um e, assim, excluir o outro; daí, uma pessoa não-binária.

A não-binaridade é uma identidade de gênero não-binária (nem masculino nem feminino), que também pode ser chamada de "gênero fluido", porque passeia pelas identidade de gênero e seus códigos, como roupas e características corporais. Em relação à linguagem, no entanto, defende o uso de pronomes de gênero neutro, como "elu" (em substituição a ele e ela).

A pessoa não-binária rompe com o que se chama de cisnormatividade. O prefixo "cis" é o contrário de "trans" e significa "do mesmo lado de", enquanto que "normatividade" é de norma, regra. E cisgênero é a palavra que define a pessoa que se identifica com o gênero de nascimento - por exemplo, uma pessoa que foi designada mulher, conforme seu sexo biológico, e se identifica como mulher.

Não-binária é o mesmo que trans?

Uma pessoa não-binária é diferente de uma pessoa transexual, travesti ou transgênero. As pessoas trans se identificam exatamente com o gênero oposto ao que foi designado no nascimento, portanto, a identidade de gênero está dentro do padrão binário masculino-feminino. Explica-se: uma mulher trans foi registrada como uma pessoa do sexo masculino, devido ao sexo biológico, mas ao crescer se reconheceu como mulher.

A pessoa transexual tem uma expressa não-conformidade com o gênero designado no nascimento, ao mesmo passo em que se identifica com o oposto. Mulheres e homens transexuais, geralmente, realizam mudanças no corpo para se sentir em conformidade com o gênero que lhe é adequado. 

Não-binários são gays?

A relação entre as pessoas não-binárias e as pessoas homossexuais, como gays e lésbicas, não tem a ver. A pessoa se identifica como não-binária de acordo com a identidade de gênero dela; a forma como ela se expressa no mundo. Já a pessoa que se assume gay ou lésbica está em conformidade com a orientação sexual dela, que é um aspecto diferente da identidade de gênero. 

Explicamos: um homem que se interessa afetivamente e sexualmente por mulheres é heterossexual; se for por homens, ele é homossexual. No caso de um homem que se relaciona com uma pessoa não-binária, ele é um homem que se relaciona com uma pessoa não-binária, ou pode ser heterossexual ou homossexual, de acordo com a forma com que os dois se entendem.

O importante é compreender que sendo a identidade de gênero uma forma de auto-identificação, cada pessoa que se identifique. Não cabe mais a gente querer definir o outro nem separar as pessoas em caixas pré-estabelecidas.

No mundo das celebridades

E se engana quem pensa que pessoas não binárias só existem em discussões na web. Demi Lovato, por exemplo, declarou, em maio do ano passado, que se identificava como pessoa não binárie.

Por conta disso, a estrela da música ainda disse que não gostaria mais de ser chamade pelos pronomes "ela" ou "ele", ressaltando assim a linguagem neutra.

No Brasil, a atriz Bárbara Paz também revelou que se identifica com essa identidade de gênero. "Sou muitos, muitas. É difícil dizer quem você é para se apresentar", explicou. "Gosto de ser menino e de ser menina. Pode? Hoje pode!".

O que é linguagem neutra?

Enquanto nos Estados Unidos a linguagem neutra se baseia no pronome "they" - que, traduzido para o português, seria "eles" -, no Brasil usa-se "elu".

Essa forma substitui os artigos que designam o gênero - tanto feminino quanto masculino - e busca incluir, assim, "todes".

Últimas notícias