Geração de emprego e renda

Com Paulo Câmara no BNB, contratações do FNE batem recorde em Pernambuco

No comando do Banco do Nordeste, ex-governador Paulo Câmara tem orçamento semelhante ao estado de Pernambuco, na casa dos R$ 50 bilhões

Imagem do autor
Cadastrado por

Jamildo Melo

Publicado em 19/07/2023 às 10:52 | Atualizado em 19/07/2023 às 11:09
Notícia
X

As contratações do FNE em Pernambuco, durante o primeiro semestre de 2023, também somaram o maior volume da história do Banco do Nordeste no estado: R 3,1 bilhões financiados. Com R 1,15 bilhão a mais que no mesmo período do ano passado, a alta foi de 58,6%.

Na mesma comparação, o setor que apresentou maior crescimento nas contratações foi a indústria. A alta de foi de quase 130%, passando de R 267 milhões para R 612 milhões. A agroindústria, bastante forte no estado, também apresentou alta (84%) fechando o semestre com R 55 milhões contratados.

Segundo o superintendente estadual do BNB em exercício no estado, Marcílio Morais, o crescimento no crédito foi impulsionado pela atuação das equipes do Banco em contato com os setores produtivos.

“Houve um grande envolvimento de todos em conversar e conhecer as necessidades de cada negócio. Conseguimos esse resultado muito satisfatório em aplicar 10% a mais do que a nossa própria meta. Isso demonstra toda a dedicação do BNB em apoiar a economia pernambucana ”, afirma.

Balanço do Nordeste

O BNB contratou R 21,3 bilhões nos primeiros seis meses deste ano com recursos do FNE, o maior volume registrado na história do banco em um primeiro semestre. O crescimento foi de 34,8% em comparação ao segundo melhor resultado, em 2022, com R 15,8 bilhões contratados.

O FNE é a principal fonte de recursos do Banco e alavancou projetos de infraestrutura, como energia e logística, com R 6,5 bilhões destinados nos seis primeiros meses de 2023. Houve aumento expressivo no setor industrial, que contratou R 2,4 bilhões este ano, 73% a mais que no ano passado.

As contratações nos demais setores foram de R 5,1 bilhões em agricultura, R 3,3 bilhões em pecuária, R 1,9 bilhão em comércio, R 1,7 bilhão em serviços e R 178 milhões em agroindústria. O presidente do BNB, Paulo Câmara, explica que esses números demonstram a atenção do Banco a todos os setores pensando estrategicamente na recuperação consistente da economia.

Segundo o executivo, os resultados nos seis primeiros meses superaram as metas internas em R 1 bilhão. Ele afirma que houve esforço coletivo para melhoria de processos e avaliação de propostas e que o Banco está impactando o desenvolvimento de sua área de atuação e a vida das pessoas.

Tags

Autor