COLUNA MOBILIDADE

Retirada de cobradores e dupla função de motoristas se consolidam nos ônibus do Grande Recife: menos de 5% das linhas ainda operam com o profissional

As 18 linhas que, segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano (CTM), não têm autorização para operar sem o cobrador são todas da Empresa Vera Cruz e rodam na área Sul da RMR

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 21/12/2021 às 10:47
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
O transporte por ônibus da RMR tinha entre 5 mil e 6 mil cobradores. Sindicato diz que menos de 5% não foi reaproveitado - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A retirada dos cobradores dos ônibus e a dupla função dos motoristas viraram regra no transporte público da Região Metropolitana do Recife. Quem usa o sistema já sabe disso, pelo menos desde o início do segundo semestre de 2020. Mas agora a confirmação vem em dados oficiais do governo de Pernambuco, que é o gestor do transporte coletivo por ônibus no Grande Recife: menos de 5% das linhas estão operando com cobradores. Ou seja, das 380 linhas em operação atualmente, apenas 18 têm o profissional. Nas outras, os motoristas seguem na dupla função: dirigindo e recebendo o pagamento da passagem quando realizado em dinheiro. O transporte por ônibus da RMR tinha entre 5 mil e 6 mil cobradores.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Antes da pandemia, o processo já estava em plena execução, mas o ritmo era menor e havia critérios técnicos. As linhas tinham que ter baixo número de pagamento em dinheiro por viagem - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

As 18 linhas que, segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano (CTM), não têm autorização para operar sem o cobrador são todas da Empresa Vera Cruz e rodam na área Sul da RMR. E não teriam, pelo menos por enquanto, previsão para a retirada do profissional. Também de acordo com o CTM, o desempenho dessas linhas vem sendo analisado constantemente. São linhas que ainda têm uma demanda por dinheiro considerada alta, que varia de 13% a quase 20% dos passageiros. “Atualmente, entre os usuários pagantes, 18,57 % pagam a tarifa com dinheiro. Se forem considerados os passageiros que catracam (passam na catraca), incluindo gratuidades, esse número reduz para 13,64%”, afirmou o CTM por email. O governo do Estado garante, inclusive, que a retirada dos cobradores de 95% das linhas em operação reduziu os custos do sistema de transporte da RMR. “A queda no custo do sistema após a substituição dos cobradores gira em torno de 10%”, informou.

ARTES JC
Linhas que ainda têm cobrador na RMR - ARTES JC

RETIRADA EM MASSA

No início do segundo semestre de 2020, no auge da pandemia de covid-19, a crise econômica provocada pela perda de demanda do transporte público forçou o governo de Pernambuco a autorizar a retirada em massa dos cobradores dos ônibus em operação na RMR. Em setembro, quando o JC descobriu a retirada em massa, eram 76% das linhas sem o profissional. E quase 3 mil motoristas atuando na dupla função.

Na pré-pandemia, quando a retirada dos profissionais tinha sido retomada depois da liberação do governo e de um grande desgaste político, no qual o governador Paulo Câmara se envolveu pessoalmente - o processo já estava em plena execução, mas o ritmo era menor e havia critérios técnicos. As linhas tinham que ter baixo número de pagamento em dinheiro por viagem. A maior parte delas, inclusive, tinha uma média de zero a sete passageiros pagantes em dinheiro. Em outras, essa demanda oscilava entre oito e 11 passageiros pagantes em espécie. Mesmo assim, o sistema já acumulava 205 das 399 linhas sem o profissional.

ARTES JC
Rede de vendas de créditos do VEM - ARTES JC

Na crise sanitária e por causa dela, a operação sem os cobradores foi ampliada de 50% para 70%. Um comparativo com 2019 revela a agilidade na exclusão dos profissionais do sistema. Em maio daquele ano eram 58 linhas sem cobrador. Até o dia 5 de novembro o total chegou a 126. Em 2020, o governo do Estado explicou que a retirada em massa dos cobradores era necessária, mas que seria provisória. “Foi uma medida de urgência para ajudar no reequilíbrio do sistema. Não tínhamos opção. O cobertor do setor é muito curto. Prefiro ter a frota na rua para atender à população que precisa do transporte público do que não ter. Os encargos são altos. E como as empresas aderiram às MPs de garantia do trabalho, as demissões estão proibidas. Pelo menos até outubro/2020, quando expiram as MPs. E a autorização é algo provisório, experimental. Depois que a pandemia passar, todas as linhas serão revistas”, afirmou o então secretário de Desenvolvimento Urbano de Pernambuco, Marcelo Bruto. A liberação para a retirada dos cobradores foi dada pelo Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano (CTM) que, segundo o secretário, tem autonomia para a decisão, sem necessidade de submetê-la ao Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM).

Na época, o governo alegava que a retirada atual dos cobradores representaria uma economia de, aproximadamente, R$ 0,25 na tarifa A. Valores calculados considerando o reajuste tarifário de 2019. Essa economia a que se refere o Estado é a quantia que deixaria de ser repassada à passagem num próximo aumento. Se todo o STPP (Sistema de Transporte Público de Passageiros da RMR) deixasse de operar com cobradores atualmente essa economia seria, também segundo o governo, de R$ 0,60 na tarifa.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
A maior parte das linhas que podiam perder o cobrador tinham uma média de zero a sete passageiros pagantes em dinheiro. Em outras, essa demanda oscilava entre oito e 11 passageiros pagantes em espécie. Agora, não há critério - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

REAÇÃO E CRÍTICAS

Os motoristas de ônibus prometem reagir à ampliação da dupla função - consequência inevitável da retirada dos cobradores, já que a rede de venda de créditos eletrônicos segue insuficiente e, principalmente, com taxas de até um Anel A (atualmente de R$ 3,75) para a maioria das transações. Aldo Lima, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco, cobrou o compromisso do governo de que a retirada dos cobradores em linhas ainda com muito pagamento em dinheiro seria provisória.
“A antiga gestão disse que a retirada seria provisória, apenas para ajudar a manter uma oferta maior da frota. Mas hoje em dia a frota já está em 90% e os profissionais não foram relocados. Não queremos a dupla função como regra. Até entendemos que há linhas que podem operar sem o profissional, mas não todas. A dupla função dos motoristas deve ser exceção”, afirma Aldo Lima. Ele afirma, ainda, que os cobradores reaproveitados no sistema não chegam a 5% dos profissionais. A Urbana-PE, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco, não se posicionou sobre o assunto.

VENDA DE CRÉDITOS ELETRÔNICOS AINDA INSUFICIENTE

As dificuldades e os custos para comprar os créditos eletrônicos são o que mais pesam no processo de retirada do dinheiro dos coletivos. Ainda e apesar da ampliação das opções de compra. Com poucas exceções, o passageiro paga uma taxa que varia de R$ 1,60 a R$ 3,75 para fazer a recarga do cartão VEM, por exemplo, o que afugenta o usuário. A Urbana-PE e o CTM contestam essa dificuldade apontada por quem usa o sistema de transporte. Os empresários de ônibus dizem que desde julho de 2021 houve o lançamento da recarga no WhatsApp com pagamento via PIX, avanços no processo de digitalização dos serviços do VEM e melhorias na manutenção das máquinas de autoatendimento instaladas nas estações de BRT, nos Terminais Integrados e no Posto do VEM, na Rua da Soledade, na Boa Vista, Centro do Recife. E que também houve o lançamento da plataforma de serviços digitais do VEM (https://www.vemgranderecife.com.br/servicosdigitais/).

ARTES/JC
Cobradores no Brasil - ARTES/JC

Rede de venda de créditos eletrônicos de transporte:

- Posto de Atendimento VEM
- 75 Máquinas de autoatendimento localizadas nos Terminais Integrados, Estações de BRT, pontos estratégicos e no Posto de Atendimento do VEM
- WhatsApp VEM (com pagamento via Pix)
- Site vemgranderecife.com.br
- Aplicativos Cittamobi, Recargapay e Ponto Certo VEM
- Mais de 4 mil pontos de venda parceiros descentralizados na RMR
- Equipes de venda do VEM em pontos estratégicos na RMR

Taxas cobradas na compra de créditos:

VEM Comum*

Posto de atendimento VEM - gratuito
Terminais de autoatendimento (Terminais de Integração) - gratuito
Terminais de autoatendimento (Estações BRT) - gratuito
Equipes de venda volantes - gratuito
Rede descentralizada de vendas - meia tarifa anel A
Aplicativos para celular - uma tarifa anel A, exceto o Recargapay que atualmente não cobra taxas
WhatsApp VEM - R$ 2,45 por transação


VEM Estudante*

Posto de atendimento VEM - gratuito
Equipes de venda volantes - meia tarifa anel A
Terminais de autoatendimento (Terminais de Integração) - meia tarifa anel A
Terminais de autoatendimento (Estações BRT) - meia tarifa anel A
Rede descentralizada de vendas - meia tarifa anel A
Aplicativos para celular - uma tarifa anel A, exceto o Recargapay que atualmente não cobra taxas
Site vemgranderecife.com.br - meia tarifa anel A
WhatsApp VEM - R$ 2,45 por transação


* Em qualquer operação de compra através de cartão de débito ou de crédito nos terminais de autoatendimento será cobrada a taxa de meia tarifa anel A. As taxas são referentes aos custos de operação dos parceiros para oferta do serviço e/ou provimento da tecnologia.

TENDÊNCIA NACIONAL E MUNDIAL

De fato, a retirada de cobradores dos coletivos é tendência mundial, comprovada em números pela da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). Mais da metade dos sistemas de transporte urbano por ônibus do País já retiraram os cobradores e têm o pagamento eletrônico da tarifa. Quase 40% desses, inclusive, não têm mais nenhum profissional na operação. A NTU fez o levantamento com 105 sistemas de transporte por ônibus brasileiros.

CONFIRA AS LINHAS QUE AINDA TÊM COBRADORES
(Todas da Empresa Vera Cruz)

131 - UR-02(BACURAU)
145 - ALTO DOIS CARNEIROS(BACURAU)
155 - JORDÃO BAIXO/BOA VIAGEM
163 - TI CAJUEIRO SECO(CIRCULAR)
166 - TI CAJUEIRO SECO/RUA DO SOL
168 - TI TANCREDO NEVES/CONDE BOA VISTA
170 - MURIBECA DOS GUARARAPES(BACURAU)
171 - LOTEAMENTO INTEGRAÇÃO/TI CAJUEIRO SECO
172 - MARCOS FREIRE(BACURAU)
178 - PORTO SUAPE/TI CABO
191 - RECIFE/PORTO DE GALINHAS(N.SENHORA DO Ó)
195 - RECIFE/PORTO DE GALINHAS(OPCIONAL)
196 - NOSSA SENHORA DO Ó/TI CABO
197 - CABO/IPOJUCA
198 - IPOJUCA/TI CABO
199 - CAMELA/TI CABO
206 - BARRO/PRAZERES(JORDÃO)
4123 - TRÊS CARNEIROS BAIXO/CAIS SANTA RITA

Comentários

Últimas notícias