articulação

Lula tenta conseguir suspensão de julgamento do STF sobre políticos em estatais; veja estratégia

Lula articula com vários ministros do STF para que julgamento iniciado nesta quarta (06) seja suspenso. Entenda motivo e confira plano do governo Lula

Imagem do autor
Cadastrado por

Cynara Maíra

Publicado em 06/12/2023 às 8:17
Notícia
X

É iniciado nesta quarta-feira (06) o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre as restrições de políticos em empresas públicas. Por ser um tema de forte relevância para gestão do presidente Lula (PT), é indicado que Luiz Inácio tenta articular uma suspensão da sessão entre os ministros do Supremo. 

Lula articula para que seja suspenso o julgamento do STF sobre políticos em estatais

Segundo informações da coluna de Malu Gaspar no Globo, Lula articula nos bastidores do Supremo para que um dos ministros peça vista dos materiais do julgamento para que haja uma suspensão de até 90 dias na audiência

A coluna de Gaspar indica que interlocutores de Lula têm procurado os ministros do STF para questionar a possibilidade de que um dos magistrados peça vista no processo. A ideia é que Luiz Inácio ganhe tempo para tentar resolver essa questão no Legislativo, que a capacidade de articulação é maior e política. 

A corrida para tentar uma suspensão do julgamento tem vínculo com o temor do governo Lula de que os ministros do STF acabem por derrubar a liminar concedida por Ricardo Lewandowski. A ação do então ministro do STF garantiu o fim da obrigatoriedade de que políticos estejam ao menos três anos longe de campanhas eleitorais

Apenas com essa decisão de março houve a diminuição das restrições sobre a entrada de políticos em estatais, o que significa que, caso a liminar seja derrubada, Lula perderá alguns de seus principais nomes nas empresas públicas, entre eles está o ex-governador de Pernambuco e novo presidente do Banco do Nordeste, Paulo Câmara

Caso consiga essa etapa, Lula ainda precisará trabalhar uma articulação no Congresso Nacional para que aprovado um projeto no Senado Federal, já votado às pressas na Câmara dos Deputados no fim de 2022, para que o tempo de "quarentena" de campanhas políticas seja de 30 dias. 

A ação julgada foi enviada pelo PCdoB e contraria a noção da Lei das Estatais de que proíbe políticos de atuarem em empresas públicas. 

Lula condena uso de 'força indiscriminada e desproporcional' contra civis em Gaza

Tags

Autor