CASO DJ IVIS

"É um amigo que estava colado comigo quase 24 horas por dia", diz Xand Avião sobre DJ Ivis

Um mês depois de Pamella Holanda expor as agressões que sofria de DJ Ivis, Xand Avião fala sobre o baque do escândalo e como tem lidado com o afastamento do DJ que, além de produzir suas músicas há 7 anos, é um amigo pessoal

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 12/08/2021 às 10:41
Notícia
@XANDAVIAO/REPRODUÇÃO
DJ Ivis e Xand Aviao - FOTO: @XANDAVIAO/REPRODUÇÃO
Leitura:

Um mês depois da arquiteta Pamella Holanda expor as agressões que vinha sofrendo do então marido, Iverson de Souza Araújo, popularmente conhecido como DJ Ivis, Xand Avião revelou, em entrevista ao UOL, ainda estar abalado com toda a situação envolvendo o amigo. 

"Falando como Alexandre e não como o cantor Xand Avião, para mim foi muito difícil, porque é um amigo, um cara que estava colado comigo quase 24 horas por dia. Pegou todo mundo de surpresa", contou o cantor.

Xand afirmou, também, ter precisado "se reinventar" após o escândalo protagonizado por Ivis, já que ele era seu parceiro musical há cerca de 7 anos. Antes da descoberta das agressões sofridas por Pamella, Ivis havia produzido um EP inteiro de Xand. Após o caso vir à tona, porém, o EP foi todo regravado sem a participação do DJ e Ivis precisou voltar a produzir suas próprias músicas. Nesta missão, ele contou com a ajuda de Emanoel Dias, que já trabalhou com Xand na época do Aviões do Forró. 

"A gente teve que tirar a bunda da cadeira e começar a pensar, ver que existem outros caminhos. É se reinventar e provar que a turbina e o combustível do avião sou eu, modéstia à parte. Esse trabalho não tem só o meu dedo, tem meu corpo inteiro",  afirmou.

Além disso, Xand também precisou agir como empresário no caso de Ivis, já que o DJ era um dos artistas da Vybbe, escritório liderado pelo cantor. No dia em que Pamella expôs os vídeos das agressões, Xand anunciou que Ivis seria desligado da empresa, e assim o fez. 

"Foi muito difícil, mas infelizmente era o que eu tinha que fazer. Um dia, quando ele sair, ele vai entender, porque o que ele fez é errado. Isso eu não admito, independentemente de ser meu amigo e meu produtor, poderia até ser meu pai. Eu não aceito violência contra a mulher. Nunca briguei com ninguém e não acho que é assim que se resolve as coisas. Se fosse para fazer de novo, eu faria", reiterou Xand.

Apesar de tudo, o cantor acredita que o trabalho de Ivis como produtor não pode ser jogado no "lixo". Para ele, o DJ tem grande importância no sucesso do forró. "Ele errou feio, a gente não pode tirar a culpa dele, e está pagando por isso. Mas ninguém pode apagar o talento do cara também", completou. 

Investigação e prisão 

Além do crime de lesão corporal contra a ex-esposa, Ivis foi indiciado pela Polícia Civil do Ceará por outros dois crimes e deve responder, também, por ameaça e injúria. O músico está preso há 15 dias, no Presídio Irmã Imelda Lima Pontes, em Fortaleza, pelas agressões contra a ex-mulher.

Segundo a polícia, as investigações sobre o caso teriam começado um dia após as denúncias, 3 de julho, na Delegacia Metropolitana do Eusébio, no Ceará. "A vítima (Pamella Holanda) comunicou o ocorrido no fim da manhã do dia 2. A polícia atendeu a ocorrência. Foi até o local do casal e os policiais convidaram o casal a comparecer até a delegacia", disse o delegado ao UOL.

Ainda de acordo com Faco, o processo de denúncia só foi concluído no dia seguinte, devido ao estado emocional de Pamella. Desde então, uma medida protetiva para Pamella Holanda foi decretada pela polícia. Nas investigações, cerca de nove pessoas foram ouvidas.

Oito dias depois, no domingo (11), a influencer publicou em suas redes sociais 11 vídeos onde Ivis aparecia disparando uma série de violências à, até então, esposa. "A divulgação dos vídeos foi muito importante porque a hipótese de que as agressões do primeiro dia teriam sido algo episódico não se confirma. As agressões são de dezembro", explicou.

Histórico de agressões

Em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, Pamella Holanda contou que conheceu Ivis pela internet em 2018 e começaram um namoro no ano seguinte. Já em 2020 foram morar juntos e começaram as agressões, que, segundo Pamella, inicialmente eram apenas verbais.

A primeira agressão física que ela se recorda foi quando estava grávida da filha do casal, Mel. "Eu estava grávida da Mel, de cinco para seis meses. Ele me segurou pelo pescoço e foi me arrastando do corredor até o sofá", contou.

Sentindo medo e vergonha, além de viver um momento delicado por conta da gravidez, ela diz que optou por não denunciar Ivis. "Eu estava realizando um sonho, eu estava grávida. Eu sempre quis ser mãe. A gente entra num estado de negação, porque a gente não quer admitir pra gente mesmo, a gente quer procurar justificativa, a gente se culpa. É muito difícil".

Mesmo com Ivis preso e com uma medida protetiva que impede que ele se aproxime, Pamella tem medo do ex-marido, especialmente por conta da repercussão que o caso tomou. "Não sei do que ele é capaz. Ele pode entrar, pensar que a vida dele acabou, que não tem nada a perder e vai lá e faz alguma coisa comigo. Tenho muito medo, e vou continuar com medo um bom tempo", diz.

A defesa de Ivis divulgou um vídeo em 17 de julho em que o artista pede desculpas pela agressão e diz que cometeu um erro. "Eu estou passando aqui pra dizer pra cada um de vocês, pra você que é mãe, pra você que é filha, pra você que é pai, pra você que é família, pra você, Pamella: eu errei, assumo meu erro". 

Defesa de Ivis

Apesar disso, apenas alguns dias depois, áudios que mostram Pamella Holanda e DJ Ivis no meio de uma briga foram divulgados pelo colunista Leo Dias, do Metrópoles. Na conversa, Pamella diz que o músico se resume só à fama e ao dinheiro que ele tem e diz que seria melhor sumir do que viver ao lado dele. 

 

A conversa foi gravada e 'vazada' pela defesa de Ivis, afirma o colunista. Seria uma tentativa de 'justificar' a agressão a Pamella, que o levou à cadeia.

Mais tarde, no domingo (25), fotos do DJ foram divulgadas pelo jornalista Luiz Bacci. Nelas, DJ Ivis aparece com o corpo machucado por hematomas e arranhões nas costas e no peitoral. Seriam marcas de agressão praticada supostamente por ela contra ele no dia 12 de maio, registrada em boletim de ocorrência no dia seguinte.

"Estratégia da defesa para me descredibilizar e atenuar a pena dele", disse Pamella Holanda ao jornalista Leo Dias, colunista do site Metrópoles.

Comentários

Últimas notícias