ELEIÇÃO EM PERNAMBUCO

Lula garante apoio a Danilo Cabral e complica pré-campanha de Marília Arraes em Pernambuco

Lula garantiu que vai trabalhar para eleger Danilo Cabral governador de Pernambuco e deixa Marília Arraes em situação complicada

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 29/04/2022 às 9:12
REPRODUÇÃO
Lula disse que virá a Pernambuco fazer uma ''caminhada da vitória'' com Danilo Cabral - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

Em entrevista concedida à Rádio Jornal, na manhã desta sexta-feira (29), Lula (PT) declarou seu apoio a Danilo Cabral, em detrimento de Marília Arraes. Tanto o pré-candidato do PSB ao Governo quanto a ex-petista, pré-candidata pelo Solidariedade, disputam a associação ao pré-candidato à Presidência.

"Meu candidato é o Danilo, por causado acordo que temos com o PSB. Um acordo que tem o Alckmin como parte do PSB. O PSB ganhou dimensão importante. Mantenho relação de respeito com Marília, mas vou trabalhar para Danilo ser o governador de Pernambuco", garantiu Lula.

O ex-presidente disse ter lamentado 'profundamente' o desembarque de Marília do PT e afirmou que não vai proibir a adversária de Danilo Cabral de usar sua imagem na campanha pelo Governo. A deputada é líder na pesquisa de intenção de voto ao Governo e, segundo o líder petista, era a favorita dentro do partido para disputar o Senado.

Em tempo, o ex-presidente lembrou da campanha de Eduardo Campos e Humberto Costa ao Governo. "Eu pedia voto para os dois e dizia: quem for para o segundo turno, vamos eleger", recorda Lula sobre o ocorrido em 2006.

A saída de Marília Arraes do PT e a disputa com Danilo Cabral

Marília Arraes deixou o PT em meio à disputas internas do partido. Após ver as portas se fechando para uma candidatura ao Senado, a deputada federal se filiou ao Solidariedade, mas continua afirmando ser a candidata de Lula ao Governo de Pernambuco.

A questão é que o PT abriu mão de uma candidatura ao Governo de Pernambuco em nome de um acordo nacional com o PSB, que lançou a pré-candidatura de Danilo Cabral. O deputado federal, por sua vez, também aposta na associação a Lula para pavimentar o caminho para a eleição.

Isso acontece porque o petista, líder nas pesquisas eleitorais, possui um capital eleitoral expressivo em Pernambuco. De acordo com a pesquisa Conectar, divulgada nesta semana pela coluna, Lula tem 64% de intenção de voto no estado.

O pré-candidato do PSB ao Governo de Pernambuco, que ainda não tem chapa definida, aposta na associação com Lula para começar a crescer nas pesquisas. No levantamento da Conectar, ele marca 5% de intenção de voto.

Outra pesquisa eleitoral, feita pela Vox em janeiro, indicou que 35% dos pernambucanos dizem votar com certeza no candidato apoiado por Lula e 26% consideram votar no indicado pelo ex-presidente. Essa transferência de votos é importante, especialmente, para Danilo Cabral.

Marília Arraes já afirmou que 'Lula não tem dono' e desponta como favorita neste momento da pré-campanha. Ela possui 26% de intenção de voto, seguida por Raquel Lyra (PSDB). Nos bastidores, opositores trabalham no estado e sem apoio expresso de Lula, a pré-candidatura da ex-petista tende a desidratar.

Marília Arraes negocia chapa com PP de Eduardo da Fonte e garante apoio do PROS

Necessitando de alianças para concorrer ao Governo de Pernambuco, Marília Arraes (SD) negocia uma aliança com o PP de Eduardo da Fonte

Marília Arraes negocia chapa com PP de Eduardo da Fonte e garante apoio do PROS
Marília Arraes e Eduardo da Fonte conversam e podem formar aliança para a eleição de 2022 FOTO: /Reprodução

Necessitando de alianças para fortalecer sua pré-campanha pelo Governo de Pernambuco, Marília Arraes (SD) conversa com o PP de Eduardo da Fonte. Interlocutores, ouvidos sob reserva pela coluna, indicam a movimentação desde a última semana. Em tempo, a pré-candidata deve anunciar em breve o apoio do PROS.

Nesta mesma semana, Eduardo da Fonte vem indicando da possibilidade de não permanecer na Frente Popular, aliança encabeçada pelo PSB junto a partidos como o PT e o PSD. O Progressistas, comandado em Pernambuco pelo deputado federal, queria presença na chapa majoritária, mas ficou fora do páreo. 

Na Frente Popular, dois nomes disputam a candidatura ao Senado: André de Paula (PSD) e Teresa Leitão (PT). Sem espaço, Eduardo da Fonte começou há pouco conversas com Marília Arraes, que deixou o PT para se candidatar ao Governo e não tem candidato à Câmara Alta definido.

Nos bastidores, enxerga-se que Marília Arraes, líder na mais recente pesquisa eleitoral em Pernambuco, pode derreter sem o apoio expresso de Lula (PT) e sem alianças locais. Nesse sentido, o apoio do PP ofereceria palanques, base e, principalmente, tempo de TV. 

O Partido Republicano da Ordem Social (PROS) é outro que deve chegar em breve à base de Marília Arraes. O partido, que não tem deputados estaduais eleitos em Pernambuco, deve ser anunciado na segunda semana de maio.

BETO OLIVEIRA/DIVULGAÇÃO
ANALISANDO Eduardo da Fonte disse que o PP irá decidir quem apoiar - BETO OLIVEIRA/DIVULGAÇÃO

Em tempo, fala-se nos bastidores que os desentendimento de Eduardo da Fonte com a Frente Popular começaram na eleição pela Prefeitura do Recife. Aliado de primeira hora de João Campos, o presidente estadual do PP teria se aproximado de Marília na reta final da disputa, irritando os socialistas.

Recentemente, Eduardo da Fonte afirmou à Rede Pernambuco de Rádios que o intuito do PP neste ano é ampliar as bancadas na Assembleia Legislativa (Alepe) e no Congresso Nacional. 

"Deputados chegaram para somar na nossa bancada, para que a gente possa discutir e ver que rumo vamos tomar na eleição do próximo mês de outubro. Eu, particularmente, defendo a permanência do partido na Frente Popular, mas o partido é democrático. Nós temos que ouvir todos os integrantes que fazem parte. Nós conseguimos fazer com que novos integrantes da Assembleia Legislativa (Alepe) chegassem ao nosso partido e mantivemos a nossa força", comentou Eduardo da Fonte nesta semana.

Para Marília Arraes, Danilo Cabral esconde o governador Paulo Câmara de sua campanha

Marília Arraes confirmou a existência de um debate respeito e responsável com os palanques de oposição ao governo do PSB

Para Marília Arraes, Danilo Cabral esconde o governador Paulo Câmara de sua campanha
CERTEZA Pré-candidata ao Governo descartou migrar para o Senado FOTO: /PH REINAUX

Ao reforçar seu apoio ao palanque do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em Pernambuco, a pré-candidata a governadora pelo Solidariedade, Marília Arraes, declarou que o PSB tem o hábito de "esconder" seus aliados. "É o que está acontecendo mais uma vez, quando escondem da pré-campanha de Danilo o governador Paulo Câmara, que tem altíssima rejeição e tentam surfar na popularidade de Lula. Eu estive com Lula no bom e no ruim”, declarou.

A deputada federal usou uma resposta de Lula, feita durante entrevista à Rádio Jornal, nesta sexta-feira (29), para esclarecer sua crítica. “Triste de quem precisa esconder seus companheiros, foi o que disse o presidente Lula quando foi perguntado sobre o papel que a ex-presidente Dilma (Rousseff) teria em seu palanque. E é exatamente isso. Aqui em Pernambuco, o PSB tem essa prática", afirmou Marília, em entrevista à CBN Recife, também nesta sexta-feira.

Na ocasião, a pré-candidata também descartou a possibilidade de desistir da disputa pelo Palácio do Campo das Princesas, para se candidatar ao Senado Federal - mesmo estando bem pontuada nas pesquisas de opinião mais recentes. “Eu não faço política na zona de conforto e nem pensando no caminho mais fácil e em cargo. Jamais fiz e não farei. Eu sou pré-candidata ao Governo de Pernambuco”, cravou. Ela aproveitou para anunciar que o partido PROS confirmou que vai apoiar seu palanque no Estado - o partido era integrante da Frente Popular, liderada pelo PSB. A oficialização do apoio ocorrerá no dia 11 de maio. 

Questionada sobre a existência de um diálogo entre os palanques de oposição ao governo do PSB em Pernambuco, a pré-candidata confirmou a existência de um debate respeitoso e responsável. “Na política, o diálogo, as conversas, são essenciais. Eu sou uma pessoa de diálogo. E não é só com os palanques de oposição que estamos conversando. Há muita gente que está na base do governo que está insatisfeito. Tem gente até do PSB que não está feliz com os rumos desse projeto que está trazendo prejuízos para Pernambuco”.

Saída do PT

Na entrevista à Rádio Jornal, Lula lamentou a saída da Marília Arraes do PT e falou sobre o acordo com o PSB. "O Humberto Costa era, na minha opinião, o que deveria ser candidato a governador, mas ele retirou a candidatura para o PSB indicar o candidato. Indicaram o Danilo Cabral e Marília era preferida ao Senado, mas por problemas internos ela sai do PT e criou uma situação pra mim. Tem acordo. Então, meu candidato é o Danilo, temos acordo com o PSB, não é apenas em Pernambuco, é acordo nacional que nos interessa", afirmou Lula.

Mesmo sem apoio oficial do petista, Marília deve continuar usando a imagem do ex-presidente e ele não vai reclamar. Afinal, o próprio Lula é quem sai ganhando com mais de um candidato levando seu nome ao palanque.

 

 

 

 

 

Comentários

Últimas notícias